Notícias

Dizendo-se católico, Lula expressa posição favorável ao aborto: “é questão de saúde pública”

Imprimir PDF

RIO DE JANEIRO, 14 Abr. 16 / 09:00 pm (ACI).- Na segunda-feira, 11 de abril, o ex-presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, participou do ato “Cultura a Favor da Democracia”, a favor do governo, na Lapa, Rio de Janeiro. Em um discurso inflamado, ele abordou o que chamou de direitos da mulher e sugeriu que o país reavaliasse a questão do aborto.

“Eu sou católico, sou cristão e sou até conservador. De vez em quando, perguntavam assim para mim: ‘Lula, você é contra ou a favor do aborto?’ Eu respondia: ‘Eu, marido de dona Marisa, pai de cinco filhos, sou contra o aborto, mas como Presidente da República, vou tratá-lo como questão de saúde pública’”, declarou o ex-presidente, segundo o jornal O Dia.

Falando em certo tom de campanha, o petista reforçou a ideia tão defendida por grupos feministas de que “a mulher tem que ter liberdade sobre o seu corpo”.

“Cada um tem direito de cuidar do corpo do jeito que quiser. Eu vi agora a guerra para aprovar o plano que falava em educação sexual em nossas escolas. Eles [a chamada elite pelo ex-presidente] foram contra”.

Lula disse que a elite quer “a educação da novela das oito, das novelas das nove onde as crianças aprendem o pior tipo de coisa, em vez de uma professora em sala de aula ensinando para a criança o que é o seu corpo e como utilizá-lo corretamente”.

“Os filhos dos ricos têm isso. Têm até professores particulares. Quando ficam com probleminhas, tem até psicólogo, analista. E filho de pobre, o que tem? Filho de pobre tem que aprender na rua, é isso que eles querem”, ironizou o político, conforme fala transcrita pelo jornal carioca.

O Partido dos Trabalhadores (PT), do qual pertencem o ex-presidente Lula e a atual presidente Dilma Rousseff, é reconhecidamente favorável ao aborto.

Na ‘Carta de Salvador e resoluções do 5º Congresso” do PT (que aconteceu em junho de 2015), no capítulo que aborda “Políticas de igualdade para as mulheres”, o partido afirma a necessidade de “avançar no combate a todas formas de violência contra as mulheres e para o reconhecimento da autonomia em relação ao seu corpo e sexualidade e que, portanto, enfrente a criminalização do aborto, a lesbofobia e as práticas machistas na sexualidade”.

O mesmo tema foi abordado, por exemplo, nas resoluções do 3º Congresso Nacional do Partido, ao defender entre suas chamadas políticas e ações para “a melhoria da qualidade de vida das mulheres. Entre os tópicos apresentados, um deles diz:

“Defesa da autodeterminação das mulheres, da descriminalização do aborto e regulamentação do atendimento a todos os casos no serviço público evitando assim a gravidez não desejada e a morte de centenas de mulheres, na sua maioria pobres e negras, em decorrência do aborto clandestino e da falta de responsabilidade do Estado no atendimento adequado às mulheres que assim optarem”. 

 

Fonte - ACI Digital - http://www.acidigital.com/noticias/dizendo-se-catolico-lula-expressa-posicao-favoravel-ao-aborto-e-questao-de-saude-publica-78919/

Compartilhar

Jovem se suicida depois de não poder superar trauma do aborto

Imprimir PDF

Jade Rees. Foto: Facebook.

LONDRES, 05 Abr. 16 / 04:30 pm (ACI).- Uma jovem britânica, mãe solteira, se suicidou quase um mês depois de praticar um aborto, “perseguida” pela decisão que havia tomado, segundo informações da imprensa local.

Jade Rees, de 21 anos, tinha um filho de dois anos, de uma relação anterior. Começou um novo noivado no início de 2015 e ficou grávida.

Entretanto, seu noivo terminou a relação e ela, sozinha e passando por uma depressão, se submeteu a um aborto em outubro do ano passado.

No dia 3 de novembro, três semanas depois, a jovem se suicidou enforcando-se em seu quarto. No seu celular escutava a canção “Small bump” (“pequena saliência”) de Ed Sheeran, a qual relata um caso de um aborto espontâneo.

Na canção de Sheeran se escutam frases como “Você era apenas uma pequena saliência ainda não nascida. Por quatro meses, e então foi tirada da vida. E talvez precisassem de você lá em cima. Mas nós ainda não sabemos o porquê”.

Segundo o jornal britânico ‘The Daily Mail’, depois do aborto, Jade ficou “triste e angustiada”. Em uma carta dirigida aos seus pais e ao seu filho pequeno, Jade explicou o sofrimento que enfrentava após submeter-se ao aborto.

Fonte – ACI Digital - http://www.acidigital.com/noticias/jovem-se-suicida-depois-de-nao-poder-superar-trauma-do-aborto-62334/

 

 

Compartilhar

Hillary Clinton evidencia extrema postura pró-abortista: a criança no ventre não tem direitos

Imprimir PDF

Hillary Clinton. Foto: Brett Weinstein (CC BY-SA 2.0)

WASHINGTON DC, 07 Abr. 16 / 08:00 pm (ACI/EWTN Noticias).- Hillary Clinton, pré-candidata presidencial do Partido Democrata dos Estados Unidos e ex-secretária de Estado de Barack Obama, evidenciou recentemente sua extrema postura a favor do aborto, assegurando que o não nascido não tem direitos constitucionais. Há alguns meses, a multinacional abortista Planned Parenthood divulgou seu apoio a Clinton nestas eleições.

Entrevistada no dia 3 de abril no programa ‘Meet the Press’ da rede NBC, a pré-candidata presidencial foi consultada se a criança no ventre tem direitos constitucionais.

“Bom, sob nossas leis atualmente isso não é algo que exista”, disse. Ela reiterou que “o não nascido não tem direitos constitucionais”.

Para Mallory Quigley, diretora de comunicações da plataforma pró-vidaamericana Susan B. Anthony List, Clinton “está mostrando publicamente ao lobby do aborto que ela respalda o aborto e não apoia nenhuma restrição”.

“É uma grande contradição dizer que os não nascidos são pessoas, reconhecê-los ao chamá-los pessoas, mas insistir em que não têm direitos constitucionais”, disse Quigley ao Grupo ACI.

“Se reconhece que o bebê é uma pessoa, então é obvio que deveria ter direitos constitucionais”, disse.

Segundo Quigley, a postura de Clinton em relação ao aborto “se tornou crescentemente radical” ao longo dos anos. Isto, explicou, demonstra o que aconteceu no Partido Democrata durante os últimos anos.

“Os Clinton – em referência a Hillary e seu esposo, o ex-presidente Bill Clinton – foram famosos por normalizar o mantra de ‘seguro, legal e escasso’, mas com o passar do tempo o Partido Democrata se tornou mais extremo, tirando a palavra ‘escasso’ da plataforma do Partido e inserindo ‘sem importar a capacidade de pagamento’, o que, obviamente, significa pago à custa dos contribuintes”, assinalou.

Em seguida, Quigley recordou que tanto Clinton como seu adversário no Partido Democrata, Bernie Sanders, promoveram em sua campanha o “aborto e sem nenhuma desculpa”.

“Os Democratas, por muito tempo, perceberam que muitos contribuintes não podem suportar a ideia do financiamento federal para o aborto sem limites, mas (a posição de Hillary Clinton) é cada vez mais extrema em uma época em que é muito claro que há áreas de consenso quando se trata do aborto”.

Diversas pesquisas indicam que há um grande consenso sobre restringir o aborto irrestrito depois das 20 semanas, momento no qual os cientistas geralmente estão de acordo que um não nascido pode sentir dor no ventre.

Kristen Day, diretora executiva de Democrats for Life (Democratas pela Vida), assinalou que devido a muitos eleitores americanos favorecem restrições ao aborto depois das 20 semanas, a opinião mais extrema de Clinton parece desconectada da realidade com o povo americano.

Clinton, lamentou, “se envolveu com essas pessoas que lhe estão dizendo que todos apoiam o aborto, mas se trata de uma opinião minoritária, não é o que o resto do país acredita”.

“Se olhamos ao redor, todos estes estados estão aprovando leis de proibição nas 20 semanas e eliminando financiamento para a Planned Parenthood”, disse Day.

Vinte estados limitam o aborto depois da viabilidade fetal e 23 estados têm algumas formas de limitação ao aborto depois das 20 semanas de gestação. Em setembro de 2015, o Senado bloqueou um projeto de lei do Partido Republicano que buscava proibir o aborto depois das 20 semanas em todos os Estados Unidos.

Mallory Quigley indicou que havia sido a pressão da multinacional abortista Planned Parenthood o que teria levado Clinton a abraçar uma postura mais extrema. Pela primeira vez em seus 100 anos de existência, Planned Parenthood anunciou seu apoio a uma candidatura – de Hillary Clinton – durante as primárias, em vez de esperar a eleição geral.

“Já havíamos dito e o diremos novamente: Hillary Clinton é a mais aberta partidária da Planned Parenthood entre todos os candidatos presidenciais”, explicou a organização abortista ao anunciar seu apoio à candidata democrata em janeiro deste ano.

Outros grupos promotores do aborto como NARAL Pro-Choice America PAC também apoiaram a campanha de Clinton. O Grupo ACI tentou entrar em contato com a Planned Parenthood e NARAL Pro-Choice America a fim de conseguir suas declarações, mas não obteve resposta até o fechamento da edição.

“Certamente, são um dos importantes aliados de Hillary Clinton, por isso, enquanto eles se tornaram mais e mais intransigentes, sem permitir nenhuma concessão sobre o aborto, os políticos foram obrigados a fazer o mesmo, porque há muito dinheiro que vem com essas garantias, dinheiro e poder”, disse Quigley.

 

Fonte – ACI Digital - http://www.acidigital.com/noticias/hillary-clinton-evidencia-extrema-postura-pro-abortista-a-crianca-no-ventre-nao-tem-direitos-14412/

 

 

Compartilhar

Milhares de peregrinos são esperados em Aparecida para Romaria do Terço dos Homens

Imprimir PDF

 

Romaria do Terço dos Homens de 2015 / Foto: Thiago Leon

APARECIDA, 28 Jan. 16 / 06:00 pm (ACI).- Milhares de homens, de diferentes partes do Brasil se reúnem anualmente no Santuário Nacional de Aparecida na Romaria do Terço dos Homens. Neste ano, em sua oitava edição, o evento acontecerá nos dias 19 e 20 de fevereiro.

O tradicional encontro dos homens no maior santuário mariano do mundo chegou a reunir mais de 40 mil participantes no ano passado.

Nesta edição, com o tema “Terço dos Homens: Compromisso com o Evangelho – Ação e Fé!”, a programação contará com Missas, testemunhos e, é claro, a Solene Reza do Terço, que acontecerá no dia 20, aos pés da imagem de Nossa Senhora Aparecida. Logo após, será feita a consagração dos homens à padroeira do Brasil.

No dia 19, haverá uma procissão luminosa pela passarela até à Matriz Basílica. A caminhada acontece logo após da Missade abertura realizada no Santuário.

Nesses dias é possível observar, em diferentes espaços do Santuário, a presença expressiva dos homens das mais diferentes idades. São avôs, pais e filhos que se programam para refletir o papel do homem na igreja e na família. “Um verdadeiro exercício de fé! ”, comenta o Missionário Redentorista, Irmão João Batista de Viveiros.

A inscrição para a Romaria deve ser feita pelo coordenador dos grupos até o dia 15 de fevereiro e os grupos inscritos participarão do Sorteio da Imagem Peregrina de Nossa Senhora Aparecida.

Fonte – ACI DIGITAL - Etiquetas: Terço dos HomensSantuário Nacional de AparecidaRomaria do Terço dos HomensNossa Senhora Aparecida - http://www.acidigital.com/noticias/milhares-de-peregrinos-sao-esperados-em-aparecida-para-romaria-do-terco-dos-homens-85017/

 

 

Compartilhar

Convento ganha prêmio de reconhecimento por ter salvo 12 meninas judias do holocausto

Imprimir PDF

Foto referencial. Crédito: Flickr Raymund Flandez (CC BY-NC-ND 2.0)

ROMA, 08 Jan. 16 / 02:00 pm (ACI).- O convento das Religiosas Servas de Maria Santíssima Dolorosa, em Florença (Itália), foi reconhecido agora como “Casa da vida” pela Fundação Internacional Raoul Wallenberg por ter escondido 12 meninas judias perseguidas na Segunda Guerra Mundial, durante o nazismo, segundo informações da agência Ansa.

Esta fundação é uma Organização Não Governamental cuja missão é desenvolver projetos educativos e de divulgação que promovam a aprendizagem dos valores da solidariedade e coragem cívica que animaram a façanha dos Salvadores do Holocausto.

Na próxima quarta-feira, 13, na casa central da congregação acontecerá um ato no qual descerrarão uma placa na qual recordam o gesto das religiosas ao salvar a vida das meninas.

Esta história aconteceu no outono de 1943, quando a superiora geral, Madre Madalena Cei, respondendo ao chamado do então Cardeal de Florença, Dom Elia Dalla Costa, acolheu e escondeu as meninas provenientes da Polônia, da Bélgica e da França.

No final da guerra, quase todas as meninas se reencontraram com seus pais ou familiares. Infelizmente algumas não tiveram esta sorte, como por exemplo Sara e Michal Nissenbaum, que no convento receberam o nome de Odette e Michelina Laurent. Elas perderam toda sua família e o Tribunal de Menores confiou sua pátria potestade ao rabino chefe de Florença.

Anos depois, quiseram recordar a fase transcorrida no convento e a irmã Madalena foi declarada “Justa entre as nações”, um título outorgado pelo judaísmo às pessoas que merecem consideração e respeito por um acontecimento importante.

Fonte – ACI Digital - Etiquetas: ItáliaIgreja Católicanazistasholocaustojudeuscrianças,Religiosas - http://www.acidigital.com/noticias/convento-ganha-premio-de-reconhecimento-por-ter-salvo-12-meninas-judias-do-holocausto-82822/

 

 

Compartilhar

Dom Walmor: Brasil passa por crise antropológica e precisa de uma revolução cultural

Imprimir PDF

BELO HORIZONTE, 08 Jan. 16 / 03:44 pm (ACI).- O Brasil vive uma crise de caráter antropológico, é o que constata o Arcebispo de Belo Horizonte, Dom Walmor Oliveira de Azevedo, ao fazer uma análise da atual situação do país. Segundo ele, para superar tal contexto, é necessária uma revolução cultural na sociedade que leve às mudanças que o Brasil realmente precisa.

“Bem no início desta contagem do ano novo de 2016, em meio ao tratamento dos problemas que continuam gerando suas consequências e preços a pagar, é urgente considerar que a crise das crises - a crise motora de todas essas outras em curso - é a de caráter antropológico”, escreve o Prelado em recente artigo, intitulado “Falências e reações”.

“É hora de efetivar mudanças”, afirma o Arcebispo, ao observar o “legado desolador deixado pelo ano que passou”, no qual “os horizontes da democracia e dos admiráveis avanços científicos e tecnológicos contracenam com os rios de lama da corrupção, dos desvarios no mundo da política, da submissão de poderes a interesses partidários e cartoriais, dos abomináveis desastres ambientais e humanitários”.

Entretanto, analisa que uma mudança de hábitos não é o suficiente, nem “resolver o caos perpetuado na sede dos poderes” – embora neste último estejam “urgências que precisam de novas e velozes reconfigurações”.

Para Dom Walmor, tal crise antropológica, sendo “algo mais sério e profundo”, implica na necessidade de “novos entendimentos e grande investimento na configuração mais consistente do tecido cultural”.

Por isso, diz ser preciso uma “revolução cultural na sociedade brasileira”, a qual não se corresponde apenas a um “movimento político partidário e nem se reduz a formas e dinâmicas de governo”.

“Trata-se de investir e conquistar entendimentos novos sobre a própria realidade histórico-cultural, promovendo clarividências. Todos precisam compreender melhor a sua missão e vocação para efetivar, a partir de riquezas próprias, por vezes desprezadas, desconhecidas e maltratadas, novo conjunto de hábitos”. 

Neste sentido, o prelado aponta um caminho: “O processo de enfrentamento da grande crise antropológica – afirma – parece não poder ser tratado senão a partir de ações nos muitos contextos regionais do Brasil”, um “país com dimensões continentais”.

“No conjunto da crise antropológico-cultural estão os rasgões na diversidade que configura a unidade do povo”, avalia o Arcebispo, ao indicar a necessidade de “resgates pontuais e incidentes” nos substratos da “gigante realidade cultural brasileira”.

Na avaliação de Dom Walmor, “os líderes governamentais, educacionais, políticos, culturais e religiosos são desafiados a olhar o conjunto de sua realidade sociocultural e definir, com sabedoria, os investimentos prioritários, parcerias que façam aumentar os tradicionais patrimônios – culturais, religiosos e educacionais – que têm força para contribuir com as transformações capazes de dar ao país novo rumo”.

Segundo o Prelado, “as reformulações mais profundas não virão simplesmente das intenções de planos governamentais”, sendo preciso abordar de maneira técnica, científica e educativa “os substratos que alavancam ou esvaziam a cultura de cada região”.

Entre os elementos que devem ser elencados, o Bispo indica a consciência de “pertença” ao povo. Nesse caso, cita a importância da “superação de um tipo de deboche – superficial e ridículo – que parece colocar de fora das próprias fronteiras o que é a riqueza do seu território”.

O Arcebispo sublinha que, quando se predomina uma “visão distorcida, que considera importante e interessante apenas o que está e o que se edifica fora do próprio território”, isso contribuiu para que a população não trate “adequadamente seu patrimônio” e não invista “em empreendimentos com força para fazer avançar a sua história”.

Por fim, após indicar a responsabilidade de diferentes líderes (governantes, políticos, educadores, produtores culturais, religiosos e a população em geral) neste processo de revolução cultural, Dom Walmor indica que agora cabe “compreender a crise antropológica e reagir com ardor para aperfeiçoar recursos, dar velocidade a projetos, priorizar as necessidades dos pobres”.

Fonte – ACI Digital - Etiquetas: Dom Walmor de OliveiraBelo Horizonterevolução cultural,BrasilPolíticacrise - http://www.acidigital.com/noticias/dom-walmor-brasil-passa-por-crise-antropologica-e-precisa-de-uma-revolucao-cultural-42663/

 

 

Compartilhar

Diocese chega a conclusão sobre caso de “hóstia que sangra” nos Estados Unidos

Imprimir PDF

Suposta "hóstia que sangra". Foto: Captura de vídeo.

SALT LAKE CITY, 18 Dez. 15 / 07:30 am (ACI).- A Diocese do Salt Lake City (Estados Unidos) publicou recentemente o resultado de sua investigação no caso de um suposto milagre eucarístico com uma “hóstia que sangra” em uma igreja local.

Segundo o relatório, a cor vermelha foi devido ao mofo de pão e não a um milagre.

A Diocese norte-americana mencionou o caráter milagroso de cada Missa e sublinhou a necessidade de que os católicos evitem especulações sobre supostos milagres.

Em um comunicado publicado pela Diocese no dia 16 de dezembro, Dom Francis Mannion – sacerdote encarregado do comitê ad hoc para a investigação do suposto milagre – explicou que “na história da Igreja, pela Divina Providência, aconteceram milagres. O único propósito de um milagre é obter um bem”.

Entretanto, assinalou que “falsas alegações de milagres, por outro lado, causam danos aos fiéis e danificam a credibilidade da Igreja”, e pediu aos leigos e sacerdotes “agirem com grande prudência” e evitar “tirar conclusões imediatas”.

“Os católicos devem usar este tempo para renovar sua fé e devoção no grande milagre da Real Presença que se dá em cada Eucaristia”, disse.

O incidente envolvendo uma hóstia consagrada ocorreu na igreja de São Francisco Xavier, em Kearns, um subúrbio do Salt Lake City, em 8 de novembro.

Nessa ocasião, durante a Santa Comunhão, um membro da paróquia devolveu ao celebrante uma hóstia consagrada que não tinha sido consumida porque a criança que a recebeu ainda não tinha feito sua primeira comunhão. A hóstia logo foi colocada pelo sacerdote em um recipiente com água para que se dissolvesse.

Depois de vários dias, a hóstia apresentou manchas vermelhas. Alguns paroquianos disseram que a hóstia parecia estar sangrando.

O administrador diocesano, Mons. Colin F. Bircumshaw, designou uma comissão ad hoc de “indivíduos de distintos campos para investigar o tema”.  O grupo inclui peritos em teologia católica, direito canônico, biologia molecular e sacerdotes.

Um cientista realizou cuidadosas provas na hóstia, feito de forma reverente, e concluiu que a mudança poderia ser explicada suficientemente por causas naturais, tais como o crescimento do mofo vermelho de pão. O comitê concluiu exatamente o mesmo de maneira unânime.

Dom Mannion disse que a comissão para investigar o caso foi renomeada, devido à “agitação causada pela antecipada e imprudente exposição e veneração da hóstia”.

A cobertura midiática que surgiu após esta exposição, indicou o sacerdote, produziu especulação “sobre o que causou a mudança na cor da hóstia”.

O presbítero explicou ainda que a Igreja “presume que a maioria das situações que parecem ser fenômenos extraordinários são, na verdade, o resultado de causas naturais”.

O comitê mencionou também a necessidade de que determinem protocolos adequados para os sacerdotes das dioceses nas quais aconteçam situações semelhantes a estas no futuro.

Etiquetas: Estados Unidos, Milagre, Eucaristia, Milagre Eucarístico, comunhão

 

 Fonte - ACI Digital - http://www.acidigital.com/noticias/diocese-chega-a-conclusao-sobre-caso-de-hostia-que-sangra-nos-estados-unidos-93587/

Compartilhar
Back to top

Copyright © Comunidade Sião 2017

Template by Joomla Templates & Szablony Joomla.