Festa da Sagrada Família - Ano B - 31 de Dezembro de 2017

Liturgia | Lectio Divina - Ano B - 2017/2018 | Escrito por Administrator

 

Texto Bíblico: Lucas, 2, 22-40

Quando se completaram os dias para a purificação deles, segundo a Lei de Moisés, Maria e José levaram o menino a Jerusalém, a fim de apresentá-lo ao Senhor, conforme está escrito na Lei do Senhor: “Todo primeiro filho homem será consagrado ao Senhor", e para oferecer em sacrifício, como vem dito na Lei do Senhor, um par de rolas ou dois pombinhos.

Havia em Jerusalém um homem chamado Simeão,justo e piedoso. Ele esperava a consolação de Israel e o Espírito Santo estava nele. Fora-Ihe revelado pelo Espírito Santo que não veria a morte antes de ver o Cristo do Senhor. Movido pelo Espírito, ele veio ao Templo, e quando os pais trouxeram o menino Jesus para cumprir as prescrições da Lei a seu respeito, ele o tomou nos braços e bendisse a Deus: “Agora, Senhor, podes despedir em paz o teu servo, se­gundo a tua palavra; porque meus olhos viram a tua salvação, que preparaste diante de todos os povos, luz para iluminar as nações, e glória de teu povo, Israel.”

O pai e a mãe de Jesus estavam admirados com o que diziam dele. Simeão abençoou-os e disse a Maria, a mãe: “Eis que este menino foi colocado para a queda e para o soerguimento de muitos em Is­rael, e como um sinal de contradição, - e a ti, uma espada traspas­sará tua alma! — para que se revelem os pensamentos íntimos de muitos corações.”

Havia também uma profetisa chamada Ana, de idade avan­çada, filha de Fanuel, da tribo de Aser. Após a virgindade, vivera sete anos com o marido.Ficou viúva, e chegou aos oitenta e quatro anos. Não deixava o Templo, servindo a Deus dia e noite com jejuns e orações. Como chegasse nessa mesma hora, agradecia a Deus e falava do menino a todos os que esperavam a redenção de Jerusalém. Terminando de fazer tudo conforme a Lei do Senhor, voltaram à Galileia, para Nazaré, sua cidade. E o menino crescia, tornava-se robusto, enchia-se de sabedoria e a graça de Deus estava com ele.

Relembrando: Maria e José seguiam o que a Lei mandava. Por isso se apresentaram ao templo (Belém fica perto de Jerusalém onde estava o Templo) para purificação da mãe que tivera um filho e para colocar nas mãos de Deus o seu primeiro e único filho. Pobres, trouxeram sua oferta humilde: um par de pombinhos. Simeão guiado pelo Espírito Santo os encontra e revela o que Deus lhe havia falado sobre Jesus e sua Mãe. Canta um hino em que expressa a espera de todo o povo e a alegria da realização profética: afinal apareceu o Salvador. Revela os sofrimentos futuros de Maria. A viúva Ana também se manifesta e ainda fala a todos que encontra. S. Lucas, fala logo da ida da família sagrada para Nazaré. S. Mateus fala primeiro da fuga para o Egito e só depois virá para Nazaré.

* Aonde foram Maria e José e para fazer o que após o nascimento de Jesus?

* Quem encontraram no templo? Que lhe revelara o Espírito Santo?

* Que hino cantou a Deus? Que disse sobre Maria, a Mãe de Jesus?

* Que outra pessoa apareceu? Quem era e o que fez ao saber do Menino?

* Para onde foi a Sagrada Família? E como Jesus encaminhava sua vida?

 

M E D I T A Ç Ã O

Lendo a Palavra de Deus sobre os primeiros passos da Sagrada Família em sua vida comum e religiosa, somos convidados a olhar para a nossa própria família, como Deus pensou e realizou: Duas pessoas, um homem e uma mulher se conhecem. Demonstram a experiência por uma amizade sincera. Decidem unir suas vidas pelo casamento com a bênção de Deus. Vêm os filhos e completam a felicidade de todos. Esta caminhada não é loteria, não é sorte, e nem sempre acontece como se sonha e deseja. Como a Sagrada Família: estamos vivendo no mundo de pessoas onde mesmo que desejemos o melhor, encontramos problemas e dificuldades. A promessa de Deus a cada família não é consertar os erros ou superar as dificuldades com milagres. Todos devemos assumir nossas responsabilidades e contar com a graça de Deus para conduzir melhor a família.

* O que penso da Sagrada Família? Acredito que minha família também é sagrada?

* Como é a vida religiosa de minha família? Procuro fazer a minha parte?

* Quais tem sido minhas reações diante de problemas que aparecem?

* Acredito que Deus mantém sua palavra quando aceitou fazer parte de minha família?

O R A Ç Ã O

De maneira sincera peço ao Senhor viver em família o que foi prometido no dia do casamento! O salmo 127(128) lembra a alegria e felicidade que a fé vivida em família trazem: Felizes os que temem e respeitam o Senhor, e se deixam conduzir por Ele. Todo o trabalho dê sentido ao que somos e fazemos: esposa e mãe, esposo e pai, filhos ao redor da mesa: todos são sempre abençoados. Várias vezes Jesus participou da família em festas e refeições.

Desejo, Senhor que minha família esteja sempre aberta a Ti, como nosso hóspede e a todos os que com amor recebermos como irmãos na caridade.

C O N T E M P L A Ç Ã O

Simeão e Ana perseveraram na espera e foram premiados: viram o Salvador, carregaram no colo o Senhor de todos nós. Em espírito vamos até lá... Muita gente entra e sai, para, reza, lê a Palavra... Busquemos no silêncio ouvir o que o Senhor tem a dizer. Entremos com todos de nossa família. Apresentemo-nos a nós e a cada membro de nossa família com suas alegrias, problemas, situação religiosa e moral. Que o Menino Jesus, Maria e José estendam suas mãos sobre cada membro de minha família: peçamos o que mais cada um precisa. E no final, agradeçamos por tudo que foi, é e será nossa família.

A Ç Ã O

Propostas pessoais

Sem me lamentar, vou parar para pensar como anda minha família. Em que eu tenho contribuído para que seja uma família abençoada pela Sagrada Família.

Propostas comunitárias

Começando por minha família vou propor-me manter um clima de mais fé e amor a todos em nossa casa.

Ver em que posso ajudar outras famílias a buscarem em Deus mais união e felicidade em suas casas.

 

 

Fonte – Diocese de Petrópolis

 

| Imprimir |