Coração de Sião

Coração de Sião - Janeiro de 2012

| Imprimir | PDF 

Queridos Amigos, Associados e Benfeitores de Sião,

HÁ UM TEMPO PARA CADA COISA!

Estamos iniciando um novo ano civil! Vamos recomeçar?

Todo começo ou recomeço trazem apreensão. Como agir diante do novo? O que fazer com os projetos já iniciados e aqueles que devemos iniciar? A expectativa pelo novo pode nos assustar, contudo, para que nossa vida não perca o sentido, precisamos ter coragem e continuar, e ainda, ser ousados para iniciarmos àqueles projetos que trazemos em nosso coração, mas, antes de tudo, precisamos colocar nossa esperança em Deus.

Importante é não termos pressa, não querermos resultados imediatos. Devemos ter consciência que não temos solução para tudo! Nos tempos atuais todos temos pressa. Precisamos lembrar de que sempre precisamos de Deus, e também uns dos outros.

Para melhor compreendermos como proceder diante do novo, nos diz Sagrada Escritura: “Tudo tem seu tempo, há um momento oportuno para cada empreendimento debaixo do céu. Tempo de nascer, e tempo de morrer; tempo de plantar, e tempo de colher a planta. Tempo de matar, e tempo de sarar; tempo de destruir, e tempo de construir. Tempo de chorar, e tempo de rir; tempo de gemer, e tempo de dançar. Tempo de atirar pedras, e tempo de ajuntá-las; tempo de abraçar, e tempo de se separar. Tempo de buscar, e tempo de perder; tempo de guardar, e tempo de jogar fora. Tempo de rasgar, e tempo de costurar; tempo de calar, e tempo de falar. Tempo de amar, e tempo de odiar; tempo de guerra, e tempo de paz. Que aproveita trabalhar e esforçar-se? Observei as tarefas que Deus impôs aos homens, para com elas se ocuparem. As coisas que ele fez são todas boas no momento oportuno. Além disso, ele dispôs que fossem permanentes, mas sem que o homem chegue a conhecer o princípio e o fim da ação que Deus realiza. E compreendi que não há outra felicidade para o homem senão alegrar-se e assim alcançar a felicidade durante a vida. Igualmente, o homem comer e beber e, mediante o seu trabalho, desfrutar da felicidade é também dom de Deus. Compreendi que tudo o que Deus fez, permanece para sempre. Nada se pode acrescentar, nada se pode tirar; Deus assim o fez, para que o temam.O que foi, já havia sido; o que será, já foi; Deus recupera o que passou”.(Ecl 3, 1-15)

“A escuta da Palavra de Deus leva-nos em primeiro lugar a prezar a exigência de viver segundo esta lei ‘escrita no coração’ (cf. Rm 2, 15; 7, 23).1  Depois, Jesus Cristo dá aos homens a Lei nova, a Lei do Evangelho, que assume e realiza de modo sublime a lei natural, libertando-nos da lei do pecado, por causa do qual, como diz São Paulo, ‘querer o bem está ao meu alcance, mas realizá-lo não’ (Rm 7, 18), e dá aos homens, por meio da graça, a participação na vida divina e a capacidade de superar o egoísmo.2

Então, para começar e viver bem este ano, tomemos conhecimento de que, no uso do seu tempo, ‘todo o ser humano que atinge a consciência e a responsabilidade experimenta um chamamento interior para realizar o bem’3 e, consequentemente, evitar o mal”. (cf. Verbum Domini 9) 

1 Cf. PONT. COMISSÃO BÍBLICA, Bíblia e moral. Raízes bíblicas do agir cristão (11 de Maio de 2008), Cidade do Vaticano 2008, nn. 13, 32 e 109.

2 Cf. COMISSÃO TEOLÓGICA INTERNACIONAL, À procura de uma ética universal: novo olhar sobre a lei natural, Cidade do Vaticano 2009, n. 102.

3 COMISSÃO TEOLÓGICA INTERNACIONAL, À procura de uma ética universal: novo olhar sobre a lei natural, Cidade do Vaticano 2009, n. 39.

 

INTENÇÕES DO MÊS

A Igreja, através do Santo Papa, nos indica um ano (outubro 2012 a outubro de 2013) para vivermos de forma preferencial a fé.

Coloquemos desde já como intenção em nossas orações este ano. Não vamos esperar chegar outubro para começar a buscar intensificar nossas atitudes de fé, mas, já agora, rezemos em primeiro lugar para que sejamos pessoas de fé, verdadeiros testemunhos para o mundo e principalmente para os mais próximos, aqueles de nossa casa, a fim de que todo o mundo creia e dê testemunho da presença de Deus!

“Nesta perspectiva, do Ano da Fé, peçamos uma autêntica e renovada conversão ao Senhor, único Salvador do mundo. Em virtude da fé, esta vida nova plasma toda a existência humana segundo a novidade radical da ressurreição. Peçamos também que na medida da sua livre disponibilidade, os pensamentos e os afetos, a mentalidade e o comportamento do homem sejam pouco a pouco purificados e transformados, ao longo de um itinerário jamais completamente terminado nesta vida. A ‘fé, que atua pelo amor’ (Gl 5, 6), torna-se um novo critério de entendimento e de ação, que muda toda a vida do homem (cf. Rm 12, 2; Cl 3, 9-10; Ef 4, 20-29; 2 Cor 5, 17)”. (cf. Porta Fidei)

Que o Senhor nos ajude neste tempo, já partir deste início de ano, a vivermos buscando crescer em nossa fé, e a sermos testemunhos de conversão.

Que este e o próximo ano sejam tempos de muita Graça!

Sagrado Coração de Jesus, eu espero e confio em Vós!


REZEMOS

    Peçamos ao Senhor que ajude a nós e ao mundo inteiro a crescermos na fé e na esperança, buscando uma conversão profunda e assim possamos aproveitar bem o nosso tempo, em seu serviço, servindo àqueles que tanto precisam de nossa ajuda e testemunho. Então rezemos: “Senhor, tu foste nosso abrigo, de geração em geração. Antes que nascessem os montes e fossem engendrados a terra e o mundo, desde sempre e para sempre tu és Deus. Reduzes o homem ao pó, dizendo: ‘Retornai, filhos dos homens!’ A teus olhos, mil anos são como o dia de ontem, que passou, e como a vigília noturna. Tu os arrebatas; são como um sonho matinal, transitórios como a erva: de manhã floresce e viceja, de tarde murcha e seca. Sim, nós somos consumidos por tua cólera, abalados por teu furor. Puseste nossas culpas diante de ti, nossos segredos à luz de tua face. Assim nossos dias dissipam-se diante de tua cólera, findamos os anos como um pensamento fugaz. Setenta anos é a duração de nossa vida; oitenta anos, se for vigorosa. Mas vangloriar-se disso é fadiga inútil, porque passam depressa, e nós levantamos vôo. Quem chega a compreender que tua ira seja tão veemente, e tua cólera tão terrível? Por isso ensina-nos a dispor de nossos dias, de modo a adquirirmos um coração sensato! Volta-te, Senhor!  Até quando? Tem compaixão de teus servos! Sacie-nos, desde a manhã, tua misericórdia e exultaremos de alegria, todos os dias. Dá-nos alegria pelos dias em que nos humilhaste, pelos anos em que provamos a desgraça! Que tua obra se manifeste a teus servos, e a teus filhos o teu esplendor! Desça sobre nós a bondade do Senhor nosso Deus! Consolida para nós a obra de nossas mãos, sim, consolida a obra de nossas mãos!(cf. Salmo 89)

    Jesus manso e humilde de coração, fazei o meu coração semelhante ao teu!

Sergio Luiz de Freitas  Rodrigues

                                                                                                                                                                                      Fundador e Moderador Geral


Compartilhar

Coração de Sião - Dezembro de 2011

| Imprimir | PDF 

Queridos Amigos, Associados e Benfeitores de Sião,

É TEMPO DE RENASCIMENTO!

Mais um ano, o Senhor, vem ao nosso encontro, simples, humilde .

            Devemos nos fazer esta pergunta: o que a cena do nascimento de Jesus representa para mim?

            Muitas respostas podem ser dadas a esta pergunta, porém, é necessário que neste tempo, façamos uma séria reflexão. Repensemos a nossa postura,  as nossas atitudes, pois muitos são os que hoje, se dizem cristãos!

            Mas o que é ser cristão? A resposta é simples porém, comprometedora. É ser outro Cristo! E como ser outro Cristo? O que fazer para termos a postura de Cristo e através de nossas atitudes sermos verdadeiramente outros Cristo? É o próprio Jesus que nos responde: “'Na verdade eu te digo: quem não nascer do alto, não pode ver o reino de Deus'. Podemos como Nicodemos perguntar-Lhe: 'Como pode nascer alguém que já é velho? Acaso pode entrar de novo no ventre da mãe e nascer?' Jesus nos responde: 'Na verdade eu te digo: quem não nascer da água e do Espírito Santo não pode entrar no reino de Deus. O que nasceu da carne é carne; o que nasceu do Espírito é espírito. Não te admires de Eu ter dito: deveis nascer do alto. O vento sopra onde quer; tu ouves o barulho, mas não sabes de onde vem nem para onde vai. Assim é todo aquele que nasceu do Espírito'. Nicodemos perguntou-lhe: 'Como pode acontecer isso?' Jesus respondeu: 'Tu és mestre em Israel (somos mestres em tantas coisas) e não compreendes estas coisas? Na verdade eu te digo: falamos do que sabemos e testemunhamos o que vimos, mas não aceitais o nosso testemunho. Se não acreditais quando vos falo de coisas terrenas, como haveis de acreditar se vos falar de coisas celestes? (cf. Jo 3, 3-12)

            Então, a partir do que nos foi falado acima, devemos entender que este tempo que se inicia, nos chama a atenção para uma preparação pessoal, um renascimento, da água e do Espírito.

            Precisamos cuidar, para que as influências do mundo, através do comércio, da mídia... não nos afastem das verdadeiras e eternas propostas deste tempo, feitas pelo Senhor, que nos são apresentadas através liturgia do Tempo do Advento pela Igreja Católica Apostólica Romana. Devemos nos preparar espiritualmente, pois precisamos “que todo o nosso espírito, toda a nossa alma e corpo se conservem sem mancha para a vinda de Nosso Senhor Jesus Cristo”. (cf. 1 Tes 5, 23).

            Diante de tantas propostas errôneas, absurdos, atitudes imorais, abusos de poder e muitas situações que nos impressionam e preocupam. Como agir? Como proceder? O que fazer?

            Como vimos, precisamos de forma pessoal, que nossa alma, espírito e corpo sejam conservados sem mancha, para a vinda de Jesus Cristo. Para que assim aconteça, nos alimentemos e fortifiquemos com todo o ensinamento deste tempo, pois é o próprio Jesus que está sempre intercedendo junto ao Pai por nós. “Não estou pedindo que os tires do mundo, mas que os guardes do mal. Eles não são do mundo, como eu também não sou do mundo. Consagra-os na verdade: a tua palavra é verdade. Assim como tu me enviaste ao mundo, também eu os enviei ao mundo. Em favor deles eu mesmo me consagro, para que também eles sejam consagrados na verdade. Não rogo apenas por eles mas por todos aqueles que acreditarem em mim pela sua palavra. Que todos sejam um como tu, Pai, estás em mim e eu em ti, para que eles estejam em nós, e o mundo creia que tu me enviaste”. (Jo 17, 15-21)


INTENÇÕES DO MÊS

Este é um tempo favorável para que possamos mudar o rumo de nossas vidas.

Peçamos ao Senhor que nos ajude neste tempo  a sermos testemunhos de conversão.

O Tempo do Advento é um tempo de espera e esperança, que vai preparando nosso espírito para celebrar o Nascimento do Verbo de Deus. As leituras da Sagrada Escritura e os textos das orações já tratam disso. A partir deste mês, façamos esta experiência de comunhão com o Senhor através de sua Palavra que cura, santifica e salva!

Coloquemos para o Senhor como intenção para este mês. Em primeiro lugar, um pedido pessoal. Que tenhamos uma profunda conversão, que nosso coração seja uma manjedoura, lugar simples e que nele o Senhor habite, transformando todo o nosso interior e assim possamos ser sal da terra, luz no mundo, fermento na massa.

Peçamos ainda por nossos familiares, pelos poderes públicos e por todas as autoridades do  mundo.

Peçamos também pela Igreja, pelas intenções do Santo Padre, o Papa, por nossos bispos, por nossos sacerdotes, diáconos, seminaristas, religiosos e leigos consagrados.  

            E que o próximo  ano seja um ano de muita Graça!

Sagrado Coração de Jesus, eu espero e confio em Vós!


REZEMOS

Rezemos: “A ti, Senhor, elevo minha alma. Em ti, meu Deus, confio: que eu não fique decepcionado, nem triunfem sobre mim os inimigos! Na verdade, não ficam decepcionados os que em ti esperam, decepcionados ficarão os que traírem a fé por uma futilidade. Indica-me, Senhor, teus caminhos, revela-me tuas sendas! Dirige-me no caminho da verdade e me ensina, porque tu és o Deus, meu salvador, e em ti espero, todos os dias. Lembra-te, Senhor, que tua ternura e teus favores são eternos! Não recordes os pecados de minha juventude nem minhas faltas! Lembra-te de mim segundo tua misericórdia, por causa de tua bondade, Senhor! O Senhor é bom e justo; por isso mostra o caminho aos pecadores, encaminha os humildes segundo a justiça, ensina aos humildes o caminho. Todas as sendas do Senhor são amor e fidelidade para os que guardam sua aliança e suas leis. Por causa de teu nome, Senhor, perdoa minha culpa, que é grave! Há alguém que tema o Senhor? Ele lhe mostrará o caminho a escolher. Viverá na felicidade e sua posteridade possuirá a terra. O Senhor se faz íntimo dos que o temem e lhes dá a conhecer sua aliança. Meus olhos estão sempre fixos no Senhor, porque ele livra do laço os meus pés. Volta-te para mim e tem piedade, pois estou só e na miséria. Alivia-me as angústias do meu coração e livrai-me das aflições! Vê minha miséria e tribulação e perdoa-me todos os pecados! Guarda minha alma e salva-me! Que eu não fique decepcionado por ter-me refugiado em ti! A honradez e a retidão me sejam de valia, pois em ti ponho minha esperança. Ó Deus, salva Israel de todas as tribulações!” (cf. Salmo 24)

Compartilhar

Coração de Sião - Outubro de 2011

| Imprimir | PDF 

Queridos Associados, Amigos e Benfeitores de Sião

FIDELIDADE A ELE QUE É FIEL

Fidelidade, uma expressão com muito significado, porém, para muitos não tem sentido e nem valor.

Só encontramos sentido neste termo se os nossos olhos e coração, estiverem em Jesus Cristo!

Ele foi fiel aos planos do Pai, em nosso favor. Também nós precisamos, Nele e por Ele, sermos fiéis, para que o mundo creia que Ele é o Senhor que dá sentido a vida e ao modo de viver de cada ser humano. “Tende em vós os mesmos sentimentos que Cristo Jesus teve: Ele, subsistindo na condição de Deus, não pretendeu reter para si ser igual a Deus. Mas aniquilou-se a si mesmo, assumindo a condição de escravo, tornando-se solidário com os homens. E, apresentando-se como simples homem, humilhou-se, feito obediente até a morte, até a morte da cruz. Pelo que também Deus o exaltou e lhe deu o Nome que está sobre todo nome. Para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho de quantos há no céu, na terra, nos abismos. E toda língua proclame, para glória de Deus Pai, que Jesus Cristo é Senhor. (Fl 2, 5-11)

O nosso Papa em sua encíclica sobre o Amor Cristão nos diz: “a fidelidade ao homem exige a fidelidade à verdade, a única que é garantia de liberdade (cf. Jo 8, 32) e da possibilidade dum desenvolvimento humano integral”.

Então, não podemos perder de vista que a fidelidade é uma qualidade do fiel, e traz consigo a verdade, a liberdade, o amor, que encontram sentido no desenvolvimento humano integral.

O Senhor nos diz: “eu, o Senhor, amo o direito, odeio o roubo e o crime, sou fiel e lhes darei a recompensa, concluirei com eles uma aliança permanente” (cf. Is 61, 8) e ainda “verdadeira é a palavra: 'Pois se com Ele morremos também com Ele viveremos. Se com Ele sofremos, com Ele reinaremos. Se O negarmos, também Ele nos renegará. Se Lhe formos infiéis, Ele permanecerá fiel, pois não pode negar-se a si mesmo'”. (2 Tm 2, 12-13)

Deus desde sempre é fiel e em Jesus Cristo provou e nos deu o maior testemunho de sua fidelidade. Fidelidade gerada no seu amor por todos os homens. Por todos nós, eu e você.

E quanto ao tempo atual, “Acaso a fidelidade de Deus, se esgotou de todo, terminou sua promessa para as gerações?” (cf. Sl 77, 9). É evidente que não, pois “Ele permanecerá fiel, pois não pode negar-se a si mesmo”.

A crise de infidelidade está no homem, que não quer mais ser fiel a Deus e a tudo que Ele constituiu  a partir do seu amor e fidelidade por nós.

Em nossos tempos o homem não consegue nem mesmo manter a fidelidade a si mesmo, pois está sempre em busca de seus próprios interesses, que giram em torno do SER, do TER e do PODER, de forma contrária aos princípios Daquele que o criou.

Você, hoje quer encontrar o sentido para a tua vida?

Procure o padre, se confesse e volte a participar da Missa, pois o sentido da vida está Naquele que é fiel e lá está, te esperando para dar um sentido novo a tua vida!


INTENÇÕES DO MÊS

 

Temos sempre muitas intenções, porém precisamos estar mais atentos as que são do Coração de Jesus!

Precisamos com a fidelidade de verdadeiros cristãos, neste mês dedicado as missões e ao rosário, a exemplo dos diversos santos aos quais fazemos memória neste mês, anunciar a presença real de Cristo que transforma a vida daqueles que a Ele se confiam.

Coincidentemente neste ano, dia sete de outubro, primeira sexta-feira, dia consagrado ao Sagrado Coração de Jesus, comemoramos Nossa Senhora do Rosário, festa instituída pelo Papa Pio V em 1571, quando celebrou-se a vitória dos cristãos na batalha naval de Lepanto. Nesta batalha os cristãos católicos, em meio à recitação do Rosário, resistiram aos ataques dos turcos otomanos vencendo-os em combate.

Então vamos a partir de hoje, unidos ao Coração de Jesus e  recorrendo à intercessão de nossa Mãe, uma vez  que a celebração de hoje nos convida à meditação dos Mistérios de Cristo, os quais nos guiam à Encarnação, Vida, Paixão, Morte e Ressurreição do Filho de Deus, recitar o rosário. Para que assim possamos vencer, em nossas famílias e em nossos relacionamentos, as batalhas da infidelidade que geram o pecado, ofendem e ferem o Coração de Jesus!

Sagrado Coração de Jesus, eu espero e confio em Vós!  


 REZEMOS

Nossa Senhora do Rosário, dai a todos os cristãos a graça de compreender a grandiosidade da devoção do santo rosário, na qual, à recitação da Ave Maria se junta à profunda meditação dos santos mistérios da vida, morte e ressurreição de Jesus, vosso Filho e nosso Redentor.

Vós que vos dignastes aparecer ao valoroso São Domingos, entregando a ele, o Vosso rosário, dirijo-me a Vós, suplicando a Vossa benevolência para a minha alma que contrita se arrepende dos seus pecados.

Pelos sagrados Mistérios, encerrados no Vosso Rosário, sede minha protetora, dai-me a força de resistir às tentações e perseverar no caminho do bem a fim de um dia merecer contemplar-Vos o semblante puríssimo, na Corte celestial.

São Domingos, apóstolo do rosário, acompanhai-nos com a vossa bênção, na recitação do terço, para que, por meio desta devoção à Maria, cheguemos mais depressa a Jesus, e como na batalha de Lepanto, Nossa Senhora do Rosário nos leve a vitória em todas as lutas da vida; por seu Filho, Jesus Cristo, na unidade do Pai e do Espírito Santo. Amém.

Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a Vós.

    

Compartilhar

Coração de Sião - Novembro de 2011

| Imprimir | PDF 

Queridos Associados, Amigos e Benfeitores de Sião

PALAVRA DA SALVAÇÃO!

            Precisamos ter consciência de que, o que ouvimos na proclamação do Evangelho já se realizou. A palavra proclamada na assembléia é ensinamento divino.

Tomemos posse, apliquemos à nossa vida o que nos é dito através das leituras e de modo especial no Evangelho, pois através das Palavras, o próprio Deus derrama todo seu amor por nós, em sua Igreja, pelas palavras proclamadas nas assembléias litúrgicas. Elas estão presentes na vida e na morte, na alegria e na tristeza, na festa e na solenidade. Elas têm tudo a ver com a nossa vida humana. Estão presentes na celebração, seja qual for, pois ela traz a presença daquele que mais ama: Deus!

“'É a palavra da salvação que alimenta a fé no coração dos cristãos: é ela que faz nascer e dá crescimento à comunhão dos cristãos'. O anúncio da Palavra de Deus não se limita a um ensinamento: quer suscitar a resposta da fé, como consentimento e compromisso, em vista da aliança entre Deus e seu povo. E ainda o Espírito Santo que dá a graça da fé, que a fortifica e a faz crescer na comunidade. A assembléia litúrgica é primeiramente comunhão na fé”. (CIC 1102)

Então! Mudemos nossa atitude diante da Palavra de Deus proclamada em nossa favor, para que possamos ter a mudança que tanto queremos. Cada um de nós busca felicidade, libertação, cura... e tantas outras coisas, porém, a nossa atitude não é como da mulher Samaritana, diante de “Jesus que fala para ela: 'Quem bebe dessa água tornará a ter sede; mas quem beber da água que eu lhe der jamais terá sede. A água que eu lhe der será nele uma fonte que jorra para a vida eterna'. A mulher pediu: 'Senhor, dá-me dessa água para que eu não sinta mais sede nem precise vir aqui buscar água'”. (cf. Jo 4, 13-15)

Hoje, homens e mulheres se encontram sedentos, áridos, mas não conseguem entender que devem ter a atitude da mulher samaritana, que pediu ao Senhor, “dá-me dessa água para que eu não sinta mais sede nem precise vir aqui buscar água”. E digo, nossa situação é pior! O Senhor está nos dando de beber e nós estamos desperdiçando toda a água, e mais, desperdiçando Sua presença, em nosso meio, através de sua Palavra proclamada e também, é claro, de sua presença Eucarística.

É São Paulo que nos diz: “cuidado, pois, para não suceder que, perdurando ainda a promessa de entrar em seu repouso, algum de vós fique para trás. Recebemos a boa-nova tanto quanto eles. Mas não lhes aproveitou em nada terem ouvido a palavra porque não deram fé ao que a escutaram. Nós só entraremos no descanso, quando crermos segundo a palavra: assim jurei em minha cólera: não entrarão no meu repouso, apesar de estarem acabadas as obras desde a criação do mundo. Porque em certa passagem ele assim fala do sétimo dia: E no sétimo dia Deus descansou de todas as suas obras. E de  propósito esta passagem diz de novo: Não entrarão no meu repouso . Ora, como persiste que alguns hão de entrar no repouso e, não havendo entrado os convidados primeiro por causa da incredulidade, de novo ele marca o dia, hoje, declarando por Davi, depois de tanto tempo, o que já foi dito: se ouvirdes hoje sua voz, não endureçais vossos corações. Pois, se Josué os houvesse introduzido no repouso, não falaria de outro dia depois do já dito. Portanto, resta ainda outro descanso de sábado para o povo de Deus. E aquele que entrou no descanso, também descansa das próprias obras, como Deus descansou das suas.11 Assim esforcemo-nos, pois, por entrar neste descanso a fim de que ninguém caia neste mesmo exemplo de desobediência. Porque a palavra de Deus é viva, eficaz e mais cortante do que uma espada de dois gumes. Penetra até a divisão da alma e do espírito, até as junturas e a medula. É capaz de julgar os pensamentos e as intenções do coração. E não há coisa criada que fique oculta à sua presença. Ao contrário, todas são nuas e manifestas aos olhos daquele a quem havemos de prestar conta”. (cf. Hb 4, 1-16)

 


INTENÇÕES DO MÊS

Coloquemos como intenção neste mês, um desejo maior de buscarmos ouvir, meditar e aplicar a nossa vida a Palavra que ouvirmos através da liturgia, na Santa Missa, pois  são Palavras de Salvação que provêm do Coração amoroso de Jesus!

As Palavras que ouvimos são para nós! Mas não apenas para que as ouçamos e as guardemos. É necessário que em um primeiro momento apliquemos à nossa vida e assim, a partir da nossa experiência com esta Palavra, plenos do que ela produziu em nós, passemos a ser instrumentos para que outros também encontrem Nela a presença reconfortante Daquele que nos comunica a Salvação.

Tomemos consciência de que “o aspecto mais sublime da dignidade humana está nesta vocação do homem à comunhão com Deus. Este convite que Deus dirige ao homem, de dialogar com ele, começa com a existência humana. Pois se o homem existe, é porque Deus o criou por amor e, por amor, não cessa de dar-lhe o ser, e o homem só vive plenamente, segundo a verdade, se reconhecer livremente este amor e se entregar ao seu Criador”. (CIC 27)

Façamos a partir deste mês, esta experiência de comunhão com o Senhor através de sua Palavra que cura, santifica e salva!

Sagrado Coração de Jesus, eu espero e confio em Vós!       


REZEMOS

Rezemos: “Venham sobre mim, Senhor, teus favores e tua salvação, segundo tua promessa, para eu responder aos que zombam de mim, porque confio em tua palavra. Jamais me tires da boca a palavra da verdade, porque espero em teus decretos. Eterna, Senhor, é tua palavra, estável nos céus. Tua fidelidade perdura de geração em geração: estabeleceste a terra, e ela permanece; por teu decreto permanecem até hoje todas as coisas, porque estão a teu serviço. Sou teu: salva-me, porque tenho procurado teus preceitos. Tua palavra é uma lâmpada para meus passos, luz para meus caminhos. Quando me sentir humilhado, Senhor reanima-me, segundo a tua palavra! A explicação de tuas palavras ilumina, dá entendimento aos simples. Firma meus passos com tua palavra e não permitas que algum mal me domine! O zelo me consumiu, quando os adversários esqueceram tuas palavras. Tua palavra é inteiramente aprovada, e teu servo a estima. Invoco-te de todo o coração: atende-me, Senhor, e observarei tuas prescrições! Invoco-te: salva-me e cumprirei tuas leis! Antecipo-me à aurora, pedindo auxílio, esperando tua palavra. Meus olhos antecipam-se às vigílias, meditando em tua palavra. Por teu amor, escuta minha voz: Senhor , reanima-me, segundo teus decretos!” (cf. Sl 119)

Jesus manso e humilde de coração, fazei o meu coração semelhante ao teu!

 

 

 

Compartilhar

Coração de Sião - Setembro 2011

| Imprimir | PDF 

Queridos Associados, Amigos e Benfeitores de Sião

 

OS VERDADEIROS SEGUIDORES DE CRISTO

 

Quem são os verdadeiros seguidores de Jesus Cristo?

Os verdadeiros seguidores de Cristo, são os que entenderam que os “pensamentos de Deus não são os nossos pensamentos, e os nossos caminhos não são os de Deus. E que o céu é mais alto que a terra, tanto os caminhos de Deus estão acima dos nossos caminhos e os pensamentos de Deus  acima dos nossos pensamentos”. (cf. Is 55, 8-9).

A Igreja celebra no dia 29 de agosto o martírio de São João Batista. “Foi preso e acorrentado pelo rei Herodes que estava vivendo com Herodíades, mulher de seu irmão Filipe. João dizia a Herodes: 'Não te é permitido viver com a mulher de teu irmão.' Por isso, Herodíades tinha ódio de João e queria matá-lo. Já Herodes, respeitava João sabendo tratar-se de homem justo e santo, e o protegia. Ao ouvir João, sentia-se embaraçado, mesmo assim gostava de ouví-lo. No dia de seu aniversário, Herodes ofereceu um banquete. A filha de Herodíades entrou e se pôs a dançar, agradando ao rei e aos convidados. Herodes disse à moça: 'Pede-me o que quiseres e eu te darei'. E lhe jurou: 'Tudo que me pedires eu te darei, ainda que seja a metade de meu reino.' Ela saiu e foi perguntar à mãe: 'O que é que eu peço?' Esta lhe respondeu: 'A cabeça de João Batista'. Ela voltou apressadamente à presença do rei e fez o pedido: 'Quero que me dês agora mesmo, numa bandeja, a cabeça de João Batista'. O rei ficou triste, mas não quis deixar de atendê-la por causa do juramento e dos convidados. Sem tardar, mandou um carrasco com a ordem de trazer a cabeça de João. Ele foi e degolou João na cadeia. Depois trouxe a cabeça numa bandeja e a deu à moça, que a entregou à mãe”. (cf. Mc 6,14-28)

Observemos, porque João Batista foi morto (martirizado). Morreu pela verdade, pois a conhecia. Muitos hoje em dia para defenderem suas ideologias, que na maioria dos casos estão fundamentadas em seus interesses, usam o versículo “conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará” (Jo 8, 32). Mas o que é a verdade? É o próprio Jesus que responde: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida”. (cf. Jo 14,6).

Será que o adultério, e outras práticas que certas ideologias aprovam, estão de acordo com a vontade de Jesus? Se tais práticas são contrárias à verdade, estão contra Aquele que é a Verdade, Caminho e Vida.

Precisamos, pois, ter a coragem dos mártires, como João Batista, que perderam a vida pela Verdade, porque crêem que “quem procura a sua vida, há de perdê-la; e quem perde a sua vida por amor de mim, há de encontrá-la” (Mt 10, 39).

Examinemos nossas atitudes e vejamos se estamos agindo de acordo com a Verdade, de acordo com Jesus, ou se nos achamos os donos da verdade, e estamos agindo de acordo com os nossos interesses. 

De que lado estamos? A quem seguimos?  


INTENÇÕES DO MÊS

Rezemos para que os cristãos de todo mundo se unam em torno da verdade, da justiça e da paz.

Que tenhamos a coragem, de unidos a Cristo que sofreu por nós, lutar contra toda a mentira, que fere a justiça, a paz e é proclamada como verdade, a partir de ideologias utilizadas para oprimir, excluir, discriminar.

Rezemos também por aqueles que hoje sofrem com a miséria e a fome, em virtude do desinteresse daqueles que detém o poder.


PEÇAMOS AO SENHOR

1A ti, Senhor , elevo minha alma.

2 Em ti, meu Deus, confio: que eu não fique decepcionado, nem triunfem sobre mim os inimigos!

3 Na verdade, não ficam decepcionados os que em ti esperam, decepcionados ficarão os que traírem a fé por uma futilidade.

4Indica-me, Senhor , teus caminhos, revela-me tuas sendas!

5 Dirige-me no caminho da verdade e me ensina, porque tu és o Deus, meu salvador, e em ti espero, todos os dias.

6 Lembra-te, Senhor , que tua ternura e teus favores são eternos!

7 Não recordes os pecados de minha juventude nem minhas faltas! Lembra-te de mim segundo tua misericórdia, por causa de tua bondade, Senhor!

8 O Senhor  é bom e justo; por isso mostra o caminho aos pecadores, 9 encaminha os humildes segundo a justiça, ensina aos humildes o caminho.

10 Todas as sendas do Senhor  são amor e fidelidade para os que guardam sua aliança e suas leis.

11 Por causa de teu nome, Senhor , perdoa minha culpa, que é grave!

12 Há alguém que tema o Senhor? Ele lhe mostrará o caminho a escolher.

13 Sua alma descansará na prosperidade, e sua descendência possuirá a terra.

14 O Senhor  se faz íntimo dos que o temem e lhes dá a conhecer sua aliança.

15 Meus olhos estão sempre fixos no Senhor, pois ele livra da rede os meus pés.

16 Volta-te para mim e tem piedade, pois estou só e oprimido.

17 Os infortúnios tomaram conta de meu coração: tira-me das angústias!

18 Vê minha miséria e tribulação e perdoa-me todos os pecados!

19 Vê quantos são meus inimigos e como me odeiam com ódio violento!

20 Guarda minha alma e salva-me! Que eu não fique decepcionado por ter-me refugiado em ti!

21 A honradez e a retidão me sejam de valia, pois em ti ponho minha esperança.

22 Ó Deus, salva Israel de todas as tribulações!

Salmo 25, 1-22

Compartilhar
Back to top

Copyright © Comunidade Sião 2020

Template by Joomla Templates & Szablony Joomla.