Coração de Sião

Coração de Sião - Julho de 2016

| Imprimir | PDF 

É PRECISO ANUNCIAR CRISTO ATÉ OS CONFINS DA TERRA 

O Santo Padre, o Papa Francisco, pede neste mês que o Evangelho seja anunciado com renovado vigor e entusiasmo.

São Paulo nos dá o exemplo, quando nos diz: “Anunciar o Evangelho não é glória para mim; é uma obrigação que se me impõe. Ai de mim, se eu não anunciar o Evangelho!” (1 Cor 9,16)

Nos fala o Beato Papa Paulo VI: “’Ai de mim se não evangelizar!’ Por ele, pelo próprio Cristo, para tanto fui enviado. Eu sou apóstolo e também testemunha. Quanto mais distante o país, quanto mais difícil a missão, com tanto mais veemência a caridade me aguilhoa. É meu dever pregar seu nome: Jesus é Cristo, o Filho do Deus vivo. É aquele que nos revelou o Deus invisível, ele, o primogênito de toda criatura, ele, em quem tudo existe. É o mestre redentor dos homens: por nós nasceu, morreu e ressuscitou.

É ele o centro da história e do universo. Ele nos conhece e ama, o companheiro e o amigo em nossa vida, o homem das dores e da esperança. Ele é quem de novo virá, para ser o nosso juiz, mas também – como confiamos – a eterna plenitude da vida e nossa felicidade.

Jamais cessarei de falar sobre ele. Ele é a luz, é a verdade, mais ainda, é o caminho, a verdade e a vida. É o pão e a fonte de água viva, saciando a nossa fome e a sede. É o pastor, o guia, o modelo, a nossa força, o nosso irmão. Assim como nós, mais até do que nós, ele foi pequenino, pobre, humilhado, trabalhador, oprimido, sofredor. Em nosso favor falou, fez milagres, fundou novo reino onde os pobres são felizes, onde a paz é a origem da vida em comum, onde são exaltados e consolados os de coração puro e os que choram, onde são saciados os que têm fome de justiça, onde podem os pecadores encontrar perdão e onde todos se reconhecem irmãos.

Vede, este é o Cristo Jesus, de quem já ouvistes falar, em quem muitíssimos de vós já confiam, pois sois cristãos. A vós, portanto, ó cristãos, repito seu nome, a todos o anuncio: ‘Cristo Jesus é o princípio e o fim, o alfa e o ômega’ (cf. Ap 22,13), o rei do mundo novo, a misteriosa e suprema razão da história humana e de nosso destino. É ele o mediador e como que a ponte entre a terra e o céu. É ele, o Filho do homem, maior e mais perfeito do que todos por ser o eterno, o infinito, Filho de Deus e Filho de Maria, bendita entre as mulheres, sua mãe segundo a carne, nossa mãe pela comunhão com o Espírito do Corpo místico.

Jesus Cristo, não vos esqueçais, é a nossa inalterável pregação. Queremos ouvir seu nome até os confins da terra e por todos os séculos dos séculos!”

 

Fonte – Liturgia das Horas - Das Homilias de Paulo VI, papa (Hom. em Manila, pronunciada a 29 de novembro de 1970 - Séc. XX)


INTENÇÕES

Continuemos unidos ao Santo Padre, o Papa Francisco, e as suas intenções. Neste mês ele pede respeito pelos povos indígenas. Para que os povos indígenas, ameaçados na sua identidade e existência, sejam respeitados.

O Santo Padre com olhar voltado para a evangelização, pede pela Missão na América Latina e Caraíbas. Para que a Igreja na América Latina e Caraíbas, através da sua missão continental, anuncie o Evangelho com renovado vigor e entusiasmo.

E continuemos a rezar pelo nosso Brasil, por nossas famílias, nossos jovens, nossas crianças e também pelos idosos para que diante das situações que tem sido apresentadas, o Senhor tenha misericórdia!

Sagrado Coração de Jesus, eu espero e confio em Vós!


REZEMOS

Rezemos a oração da missão continental: Senhor, Deus da vida e do amor, enviastes o vosso Filho para nos libertar das forças da morte e conduzir-nos no caminho da esperança. Movei-nos pelo dom do vosso Espírito! Fazei-nos discípulos, comprometidos com o anúncio do Evangelho em nosso Pátria, em comunhão com a Missão Continental.

Fazei-nos missionários, caminhando ao encontro de nossos irmãos e irmãs, acolhendo a todos, sobretudo os jovens, os afastados, os pobres, os excluídos. Virgem Mãe Aparecida, intercedei junto ao vosso Filho, para que sejamos fiéis ao nosso compromisso de discípulos missionários. Amém!

Jesus manso e humilde de coração, fazei o meu coração semelhante ao teu!

Reze: Pai nosso, Ave Maria, Glória.

 

Compartilhar

Coração de Sião - Junho de 2016

| Imprimir | PDF 

SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS, SÍMBOLO DE AMOR PERFEITO 

Maio foi um mês de muitas celebrações, é por excelência o mês de Maria.

E o mês de junho? É o mês do Sagrado Coração de Jesus e do Imaculado Coração de Maria.

“O adorável coração de Jesus Cristo pulsa de amor ao mesmo tempo humano e divino desde que a virgem Maria pronunciou aquela palavra magnânima: "Fiat", e o Verbo de Deus, como nota o Apóstolo, "ao entrar no mundo disse: Não quiseste sacrifício nem oferenda, mas me apropriaste um corpo; holocaustos pelo pecado não te agradaram. Então disse: Eis que venho: segundo está escrito de mim no princípio do livro, para cumprir, ó Deus, a tua vontade... Por esta vontade, pois, somos santificados pela oblação do corpo de Cristo feita uma só vez" (Hb 10,5-7.10). (n°30  cap.III  H.A)

A devoção ao Sacratíssimo Coração de Jesus teve inicio em sua essência, já no início da Igreja, pois os Santos tiveram muito presente em suas práticas de oração, a honra a Jesus Cristo, que tinha manifestado seu Coração, símbolo de seu amor em grandes momentos. Contudo, esta devoção, em sua forma atual, deve-se às revelações que o próprio Jesus fez a Santa Margarida Maria (1649-1690), sobretudo quando em 16 de junho de 1657, descobrindo seu Coração, disse-lhe: "Eis aqui este Coração que amou tanto aos homens, que não omitiu nada até esgotar-se e consumir-se para manifestar-lhes seu amor, e por todo reconhecimento, não recebe da maior parte mais que ingratidão, desprezo, irreverências e tibieza que têm para mim neste sacramento de amor".

Em 15 de maio de 1956 Pio XII publicou a carta encíclica "Haurietis Aquas": "vós tirareis com alegria águas das fontes do Salvador". "Palavras - prossegue o Papa - que retornam em modo espontâneo à nossa mente, repensando aos cem anos que transcorreram desde que o nosso predecessor de memória imortal Pio IX, feliz em favorecer os votos do mundo católico, estabeleceu que a Festa do Sacratíssimo Coração de Jesus fosse celebrada em toda a Igreja".

A memória ao Imaculado Coração de Maria tem as suas raízes no Evangelho que repetidamente chama a nossa atenção para o Coração da Mãe de Deus.

"Depois ele desceu com eles para Nazaré; era-lhes submisso; e a sua mãe guardava todos esses acontecimentos em seu coração". O texto do Evangelho segundo São Lucas, uni-se ao do canto de Louvor, Magnificat, a compaixão e intercessão diante do vinho que havia acabado e a presença de Maria de pé junto a Cruz, para assim nos revelar a sintonia do Imaculado Coração de Maria para com o Sagrado Coração de Jesus. Dentre os santos se destacou como apóstolo desta devoção, São João Eudes, e dentre os Papas que propagaram esta devoção, se destaca Pio XII que em 1942 consagrou o mundo inteiro ao Coração Imaculado de Maria.

Nossa Senhora em suas aparições em Fátima, Portugal, em 1917, espalhou a devoção ao Coração de Maria que o Cardeal local disse: "Qual é precisamente a mensagem de Fátima? Creio que poderá resumir-se nestes termos: a manifestação do Coração Imaculado de Maria ao mundo atual, para o salvar". Desta forma pudemos conhecer do Céu que o Pai e Jesus querem estabelecer no mundo inteiro a devoção do Imaculado Coração que encontra fundamentada na Consagração e Reparação a este Coração que no final Triunfará.

Diante disto, será que hoje temos recorrido aos benefícios que estas devoções nos oferecem para que nos aproximemos do plano amoroso de Deus?    


INTENÇÕES

Neste mês vamos nos unir as intenções do Santo Padre o Papa Francisco que pede para que os idosos, os marginalizados e as pessoas sós encontrem, mesmo nas grandes cidades, espaços de convívio e solidariedade.

Ainda nas suas intenções, o Papa Francisco pede pela evangelização, para que os seminaristas, os noviços e as noviças encontrem formadores que vivam a alegria do Evangelho e os preparem com sabedoria para a sua missão.

E não podemos esquecer de rezar pelo nosso país, por nossas famílias para que diante das situações que tem sido apresentadas, o Senhor tenha misericórdia!

Sagrado Coração de Jesus, eu espero e confio em Vós!


REZEMOS

Rezemos: Meu sagrado Coração de Jesus, em Vós deposito toda a minha confiança e esperança.
Vós sabeis de tudo, ó Pai e Senhor do Universo. Sois o Rei dos Reis. Vós, que fizestes o cego ver, o paralítico andar, o morto voltar a viver, o leproso se curar. Vós, que vedes as minhas aflições, as minhas angústias, bem sabeis, Divino Coração, como preciso alcançar esta graça. (Fazer o pedido com fé).A minha conversa convosco me dá ânimo e alegria para viver só de Vós; espero com fé e confiança.Iluminai os meus passos, Sagrado Coração de Jesus, aumentai a minha fé.
Amém.

Jesus manso e humilde de coração, fazei o meu coração semelhante ao teu!

Reze: Pai nosso, Ave Maria, Glória.

 

 

 

Compartilhar

Coração de Sião - Abril de 2016

| Imprimir | PDF 

“ESTE É O DIA QUE O SENHOR FEZ PARA NÓS: ALEGREMO-NOS E NELE EXULTEMOS!” 

“Este é o dia que o Senhor fez para nós: alegremo-nos e nele exultemos!” (Sl 117, 24)

Mas que dia é este? É precisamente aquele que nos trouxe o princípio da vida, a origem, o autor da luz, o próprio Senhor Jesus Cristo que de si afirma: “Eu sou a luz. Se alguém caminha de dia, não tropeça” (Jo 8, 12; 11,9), ou seja, aquele que em todas as coisas segue a Cristo, chegará, seguindo os seus passos, ao trono da eterna luz.

O Senhor Jesus, quando ainda vivia em seu corpo mortal, pedia em nosso favor: “Pai quero que onde eu estou, aí estejam também os que acreditaram em mim; para que assim como tu estás em mim e eu em ti, assim também eles estejam em nós”. (Jo 17,20s)

“Este é o dia que o Senhor fez para nós: alegremo-nos e nele exultemos!” (Sl 117, 24). Com este refrão, na solenidade do Domingo da Páscoa na Ressurreição do Senhor, a assembleia dos fiéis, alimentada no regaço materno da santa Igreja, formando um só povo e uma só família, adorando a Unidade da natureza divina e o nome da Trindade, canta com o Profeta o salmo desta grande festa anual.

Vivemos neste ano, a oitava da Páscoa, na transição dos meses março e abril, sendo que o primeiro Domingo de abril, nos trás, ainda o Salmo 117, mas agora, com o refrão: “Dai graças ao Senhor, porque Ele é bom! 'Eterna é a sua misericórdia!'” (Sl 117, 1).

É o segundo Domingo da Páscoa, é o Domingo da Divina Misericórdia, instituído pelo Papa São João Paulo II em maio do ano 2000.

Este ano, devemos intensificar o nosso desejo de celebrar, comunicar e testemunhar a Divina Misericórdia, pois, o Papa Francisco, através da bula Misericordiae Vultus, proclamou o Jubileu Extraordinário da Misericórdia. Este ano (Jubileu) foi aberto no dia oito de dezembro de 2015, na Solenidade da Imaculada Conceição e será encerrado na Solenidade de Jesus Cristo, Rei do Universo, no dia vinte de novembro de 2016.

“Dai graças ao Senhor, porque Ele é bom! 'Eterna é a sua misericórdia!'” (Sl 117, 1).

Sim, pois, “o Senhor Jesus Cristo é o rosto da Misericórdia do Pai. O mistério da fé cristã parece encontrar nestas palavras a sua síntese, tal misericórdia tornou-se viva, visível e atingiu o seu clímax em Jesus de Nazaré. O Pai 'rico em misericórdia' (Ef 2,4), depois de ter revelado seu nome a Moisés como 'Deus misericordioso e clemente, vagaroso na ira, cheio de bondade e fidelidade' (Ex 34, 6), não cessou de dar a conhecer,de vários modos e em muitos momentos na história a sua natureza divina. Na 'plenitude do tempo' (Gl 4,4), quando tudo estava pronto segundo seu plano de salvação, mandou seu Filho, nascido da Virgem Maria, para nos revelar, de modo definitivo, o seu amor. Então, quem O vê, vê o Pai (cf. Jo 14, 9). Com sua palavra e gestos e toda a sua pessoa, Jesus de Nazaré revela a misericórdia de Deus”. (cf. MV 1)


INTENÇÕES DO MÊS 

Neste tempo em que houve um afastamento de Deus, pois os homens se achando muito capazes, corrompidos pelo poder, pelo consumismo, indiferentes aos princípios morais e éticos, assim como, esquecidos que somos criaturas que têm um Criador, único “DEUS”.

Façamos uma reflexão pessoal, nos perguntemos: qual é a minha situação, meu posicionamento no mundo, na utilização dos bens...? Como estou me relacionando com Deus e com tudo que por Ele foi criado?

Seja nossa intenção neste mês, segundo a misericórdia do Senhor, toda a humanidade, mergulhada, nesta crise que exalta os contravalores, o poder, o ter, gerando violência, destruição, desagregação e tantos outros problemas.  

Sagrado Coração de Jesus, eu espero e confio em Vós!


REZEMOS

Rezemos com o salmo (117, 2-4. 22-24. 25-27), da liturgia da Missa do Domingo da Divina Misericórdia, pedindo a Misericórdia do Senhor, sobre todos os homens que detêm o poder, todos os perseguidos. Também pela fome no mundo.

Refrão - Dai graças ao Senhor, porque Ele é bom! 'Eterna é a sua misericórdia!'

2 A casa de Israel agora o diga: 'Eterna é a sua misericórdia!' 3 A casa de Aarão agora o diga: 'Eterna é a sua misericórdia!' 4 Os que temem o Senhor agora o digam:'Eterna é a sua misericórdia!' R.

22 'A pedra que os pedreiros rejeitaram, tornou-se agora a pedra angular. 23 Pelo Senhor é que foi feito tudo isso: Que maravilhas ele fez a nossos olhos!24 Este é o dia que o Senhor fez para nós, alegremo-nos e nele exultemos! R.

25 Senhor, dai-nos a vossa salvação,ó Senhor, dai-nos também prosperidade!'

26 Bendito seja, em nome do Senhor, aquele que em seus átrios vai entrando! Desta casa do Senhor vos bendizemos. 27 Que o Senhor e nosso Deus nos ilumine! R.

Jesus manso e humilde de coração, fazei o meu coração semelhante ao teu!

Reze: Pai nosso, Ave Maria, Glória.

 

Compartilhar

Coração de Sião - Maio de 2016

| Imprimir | PDF 

“Se alguém me ama, guardará a minha Palavra!” 

Ainda no Tempo de Páscoa, o primeiro Domingo deste mês, sexto de Páscoa, a liturgia nos interpela através deste primeiro versículo do Evangelho: “Se alguém me ama, guardará a minha palavra, e o meu Pai o amará, e nós viremos e faremos nele a nossa morada”. (Jo 14,23)

Sabemos ser este um tempo privilegiado para contemplarmos a condição do amar! A cada ano, a Páscoa, centro e ápice da liturgia, nos apresenta a condição maior do amor: vivenciamos nosso Senhor, que por amor, “se entregou por nós a Deus, como oferenda e sacrifício de agradável odor” (cf. Ef 5, 2). Em Cristo “somos mais que vencedores pela virtude daquele que nos amou. Pois nada nos poderá apartar do amor que Deus nos testemunha em Cristo Jesus, nosso Senhor”. (cf. Rm 8, 37-39)

Neste período do ano, também somos convidados a contemplar Maria a “mãe do puro Amor” (cf. Eclo 24,24). Cheia de graça, chegada a “plenitude dos tempos” (cf. Gl 4,4), ela deveria conceber Jesus. E é o Espírito Santo que a fecunda.

Revestida de sol, coberta pelo Espírito Santo, Maria tornou-se, no dizer de São Bernardo, “um abismo de luz, gestando o verdadeiro Deus, Deus e homem ao mesmo tempo” e, diante desse fato, observa ainda São Bernardo, “até o olho angélico fica ofuscado com a potência de tal fulgor”.

Diante dos exemplos de Cristo e de Maria, o que falar do amar, pois não há ninguém que não ame. A questão é saber o que se deve amar. Não somos, por conseguinte, convidados a não amar, mas sim a escolher o que havemos de amar. Mas o que podemos escolher, se antes não formos escolhidos? Porque não conseguiremos amar, se antes não formos amados. Escutai o apóstolo João: Nós amamos porque ele nos amou primeiro (cf. 1Jo 4,10). Procura saber como o homem pode amar a Deus; não encontrarás resposta, a não ser esta: Deus o amou primeiro. Deu-se a si mesmo aquele que amamos, deu-nos a capacidade de amar. Como ele nos deu esta capacidade, ouvi o apóstolo Paulo que diz claramente: O amor de Deus foi derramado em nossos corações. Por quem? Por nós, talvez? Não. Então por quem? “Pelo Espírito Santo que nos foi dado” (Rm 5,5).

Tendo portanto, uma tão grande certeza, amemos a Deus com o amor que vem de Deus. Escutai ainda mais claramente o mesmo São João: “Deus é amor: quem permanece no amor, permanece com Deus, e Deus permanece com ele” (cf. 1Jo 4,16). É bem pouco afirmar: “O amor vem de Deus” (cf. 1Jo,4,7). Quem de nós se atreveria a dizer: Deus é amor? Disse-o quem sabia o que possuía.

Deus se oferece a nós pelo caminho mais curto. Clama para cada um de nós: Amai-me e me possuireis; porque não podeis amar-me se não me possuirdes..

Fonte - Lit. Horas - Sermões de Santo Agostinho, bispo / http://www.franciscanos.org.br/?page_id=5524#sthash.i4kEpKXk.dpuf


INTENÇÕES DO MÊS

Neste mês vamos nos unir as intenções do Santo Padre o Papa Francisco que pede Respeito as Mulheres, para que, em todos os países do mundo, as mulheres sejam honradas e respeitadas, e seja valorizado o seu imprescindível contributo social.

Ainda nas suas intenções, o Papa Francisco pede pela evangelização, que a prática da reza do Santo Rosário se difunda nas famílias, comunidades e grupos pela evangelização e pela paz.

E não podemos esquecer de rezar pelo nosso país, por nossas famílias para que diante das situações que tem sido apresentadas, o Senhor tenha misericórdia!

Sagrado Coração de Jesus, eu espero e confio em Vós!


REZEMOS

Rezemos: Pai de misericórdia, na tua imensa bondade, queres que cada um dos teus filhos seja reconhecido na sua dignidade. Em tantos lugares, os mais frágeis, sobretudo as mulheres são vítimas de exploração e não são reconhecidos os seus direitos. Rezo para que cada mulher seja vista como membro essencial da construção da sociedade, uma riqueza a cuidar e promover. Peço-Te também que as famílias encontrem no Rosário um modo especial de oração e de conhecimento dos mistérios da vida do teu Filho Jesus.

Jesus manso e humilde de coração, fazei o meu coração semelhante ao teu!

Reze: Pai nosso, Ave Maria, Glória.

Compartilhar

Coração de Sião - Março de 2016

| Imprimir | PDF 

ONDE ESTÁ A BELEZA?

A beleza está no coração daqueles que encontraram a Deus, pois é Dele que procede toda a beleza. “As criaturas, todas elas, trazem em si certa semelhança com Deus, muito particularmente o homem criado à imagem e à semelhança de Deus. Por isso as múltiplas perfeições das criaturas (sua verdade, bondade e beleza) refletem a perfeição infinita de Deus. Em razão disso podemos falar de Deus a partir das perfeições de suas criaturas, "pois a grandeza e a beleza das criaturas fazem, por analogia, contemplar seu Autor" (Sb 13,5). (Catecismo da Igreja Católica 41).

Não podemos nos deixar enganar, nem corromper, pelos critérios do mundo, que nos escravizam e são contrários aos de Deus.

Madre Teresa de Calcutá se referindo a beleza segundo os critérios do mundo nos fala: "Não ame pela beleza, pois um dia ela acaba, não ame por admiração, pois um dia posso me decepcionar. Ame apenas, pois o tempo nunca poderá apagar um amor sem explicação.”

O mundo ao se referir à beleza humana, observa inúmeros fatores que normalmente não se aplicam a objetos ou eventos. A beleza, no mundo, é um conceito social, e frequentemente é resultado da interseção de diversos fatores biológicos, sociais, climáticos, ambientais e históricos. Há alguns anos atrás, aconteceu uma massificação do corpo esbelto, induzindo muitas mulheres à anorexia. Em nossos tempos, tenta-se desmontar o conceito através de normas que variam de país para país. No Brasil existe até lei, em vigor, que regulamenta o peso mínimo das modelos com relação a padrões corporais.

Outro critério utilizado para definir a beleza humana é a simetria. Recentes pesquisas demonstraram que rostos simétricos tendem a ser considerados mais belos que os assimétricos.

Além disso mescla-se ao conceito de beleza corporal humana, a sexualidade, quando a referência é o corpo físico (e não a beleza interior). Nesse caso, a presença de caracteres sexuais secundários mais marcantes elevam o nível de beleza da pessoa que os possui.

Agora, onde está à beleza interior, aquela que vem do Criador? Será que hoje alguém pensa que para o exterior do ser humano ser belo, é preciso que haja saúde, beleza, harmonia, paz, felicidade em seu interior?

Então é preciso que o homem, com sua abertura à verdade e à beleza, com seu senso do bem moral, com sua liberdade e a voz de sua consciência, com sua aspiração ao infinito e à felicidade, se interrogue sobre a existência de Deus. Mediante tudo isso perceba sinais de sua alma espiritual. Como "semente de eternidade que leva dentro de si, irredutível à só matéria" sua alma não pode ter origem senão em Deus. (Catecismo da Igreja Católica 33)


INTENÇÕES DO MÊS

 

Peçamos ao Senhor que intervenha para que administradores públicos, tomem consciência, que a saúde é um direito fundamental que não deve e não pode ser negado a ninguém, já que é desejo de Deus a saúde para todos os seus filhos e filhas.

 

 

Então, com coragem e comprometimento intercedamos junto a Deus nestes tempos de incertezas, para que Ele que é fonte de toda a Vida e Saúde nos ajude a encontrarmos respostas e soluções, que resolvam os problemas da saúde pública em nosso Brasil.

É este o tempo propício para pedir ao Senhor a libertação de todo o sistema de saúde, para que através de seus gestores, cumpra o seu compromisso para com aqueles que sofrem hoje, seja nas filas ou aguardando atendimento, nos hospitais e em todas as situações que envolvam a saúde humana.

Que a Graça de Deus e Sua Alegria possam ser plenas em cada ser humano!

Sagrado Coração de Jesus, eu espero e confio em Vós!


REZEMOS

“Senhor Deus de amor, Pai de bondade, nós vos louvamos e agradecemos pelo dom da vida, pelo amor com que cuidais de toda a criação. Vosso Filho Jesus Cristo, em sua misericórdia, assumiu a cruz dos enfermos e de todos os sofredores, sobre eles derramou a esperança de vida em plenitude. Enviai-nos, Senhor, o Vosso Espírito. Guiai a vossa Igreja, para que ela, pela conversão se faça sempre mais, solidária às dores e enfermidades do povo, e que a saúde se difunda sobre a terra”. Amém.

Rezemos também de forma pessoal na intenção de todos os enfermos de sua família e de sua comunidade, confiando-os ao Senhor que é o Médico dos médicos!

Jesus, manso e humilde de coração, fazei o meu coração semelhante ao Teu!

 

1 Pai Nosso; 1Ave Maria; 1Glória.

Compartilhar
Back to top

Copyright © Comunidade Sião 2020

Template by Joomla Templates & Szablony Joomla.