Coração de Sião

Coração de Sião - Fevereiro de 2012

| Imprimir | PDF 


Queridos Amigos, Associados e Benfeitores de Sião,

ALEGRIA - FRUTO DO ESPÍRITO

“Tudo me é permitido, mas nem tudo convém. Tudo me é permitido, mas não me deixarei dominar por coisa alguma. Os alimentos são para o estômago, e o estômago para os alimentos; porém Deus destruirá tanto aqueles como este. O corpo não é para a impureza (prostituição), mas sim para o Senhor, e o Senhor para o corpo; e Deus, que ressuscitou o Senhor, também nos ressuscitará a nós pelo poder” (1 Cor 6, 12-14).

Neste mês de fevereiro acontecerá mais um Carnaval, festa popular que segundo a tradição e assim propagada pela mídia, é uma festa, tempo de alegria!

Tradicionalmente acontece durante quatro dias. Poucos dias, em que muita coisa acontece. Acontecimentos que podem alterar totalmente a trajetória de uma vida ou de vidas.

O trecho bíblico citado acima, de uma das cartas de São Paulo, apresenta sérias advertências à cidade de Corinto, uma metrópole cultural e comercial famosa por sua riqueza e luxo. Alerta sobre a imoralidade sexual e as relações sexuais ilícitas que provocaram o relaxamento dos bons costumes.

Em nossos tempos a mídia fala de alegria correlacionando-a ao Carnaval! Que alegria?

Segundo o mesmo São Paulo, a “alegria, assim como: a caridade, a paz, longanimidade, afabilidade, bondade, fidelidade, mansidão, continência são frutos do Espírito Santo” (cf. Gal 5, 22-23). Será que os promotores desta festa, sabem pelo menos quem é o Espírito Santo?

E aí muitas pessoas motivadas por esses que promovem tal festa pagã, ao verem que a Igreja Católica Apostólica Romana aproveita para promover retiros neste tempo, comentam que para lá só vão os alienados, ou aqueles que desejam fugir de alguma situação.

Na realidade é isso! A grande maioria que aproveita os dias de Carnaval para se retirar, quer fugir das turbulências do mundo, quer se colocar a parte desta festa, aproveitando para se aproximar de Deus, deixando os falsos valores do mundo para encontrar-se com Aquele que pode gerar em seus corações a verdadeira e eterna alegria.

E São Paulo continua: “Os que são de Cristo Jesus, crucificaram a carne com as paixões e concupiscências. Se vivemos do espírito, andemos também segundo o espírito”. (Gal 5, 24-25)

Que alegria você procura? Como e onde a busca?

Para melhor entender, saiba que a verdadeira alegria se encontra na esperança e esta, que a princípio nos parece desconhecida, é verdadeira e é ela que nos estimula e causa as ansiedades como também os ímpetos positivos ou destruidores para o mundo autêntico e o homem verdadeiro.

Podemos pensar que cada instante de nossa existência é a vida em sentido pleno, um incessante mergulhar na vastidão do ser, e assim ficamos simplesmente inundados pela alegria. Assim nos fala Jesus, no Evangelho de São João: “Eu hei de ver-vos outra vez, e o vosso coração se alegrará e ninguém vos tirará a vossa alegria” (Jo 16,22). Devemos olhar nesse sentido, se quisermos entender o que visa à esperança cristã, o que esperamos da fé é estarmos com Cristo. (cf. Spe Salvi 12)

É Ele que nos dá a verdadeira alegria e é Nele que podemos esperar!

É preciso aproveitar o tempo com algo que nos proporcionará uma alegria duradoura (eterna) e não com momentos de alegria que em algumas situações se tornarão tristezas que podem durar eternamente!

 

 

 


INTENÇÕES DO MÊS

 

Vivemos em tempos de falsas alegrias fundamentadas no consumismo, impregnados pela cultura do ter, ser e poder. Em uma sociedade, e até para alguns que se dizem de Cristo, são estas as condições necessárias para sua satisfação. Satisfação que infelizmente produz uma alegria passageira ou por que não dizer, transitória.

O que realmente o ser humano precisa hoje?

A primeira intenção que devemos trazer para este mês, é que o ser humano se aproxime de Deus. Que o seu coração se aproxime do Coração amoroso Dele para que sejam satisfeitas as suas reais necessidades. Que seus corações se encham da Alegria que é verdadeira e não passageira, e assim possam fazer a experiência da palavra que nos diz: “Eu hei de ver-vos outra vez, e o vosso coração se alegrará e ninguém vos tirará a vossa alegria” (Jo 16,22).

E que a partir desta experiência, possam ser testemunhas e intercessores em favor daqueles que hoje sofrem com a depressão, síndrome do pânico e tantas outras doenças; para que também esses se aproximem de Deus, deixem-se tocar por Ele a fim de que o vazio de seus corações seja preenchido.

Que a Graça de Deus e Sua Alegria possam ser plenas em cada ser humano!

Sagrado Coração de Jesus, eu espero e confio em Vós!


REZEMOS

  Peçamos ao Senhor que nos “ensine o caminho da vida, pois em sua presença há plenitude de alegria e à sua direita delícias eternas” (cf. Sl 16, 11). São “felizes os que temem o Senhor e que em andam em seus caminhos” (cf. Sl 127, 1-2)

Peçamos ainda ao Senhor que “reine em nossa vida, pois é preciso que Ele seja soberano, pois fora Dele não há felicidade” (cf. Sl 16, 2). Como soberano dirija os nossos atos e atitudes, para que cada vez mais nos conformemos com sua vontade. Sejamos santos, verdadeiramente Sua imagem e semelhança.

Tu, Senhor, porção de minha herança e de minha taça, tens na mão a minha sorte. Bendigo o Senhor, que me aconselha; mesmo de noite a consciência me admoesta. Tenho sempre o Senhor na minha presença; com ele à minha direita, não vacilarei. Por isso se alegra meu coração e exulta minha alma; até minha carne descansa serena, porque não abandonarás minha alma ao abismo nem deixarás teu fiel ver o fosso. Tu me ensinarás o caminho da vida; em tua presença há plenitude de alegria, à tua direita delícias eternas” (Sl 16, 6. 8-11).

  Jesus, manso e humilde de coração, fazei o meu coração semelhante ao teu!


Sergio Luiz de Freitas Rodrigues

Fundador e Moderador Geral

Compartilhar

Coração de Sião - Janeiro de 2012

| Imprimir | PDF 

Queridos Amigos, Associados e Benfeitores de Sião,

HÁ UM TEMPO PARA CADA COISA!

Estamos iniciando um novo ano civil! Vamos recomeçar?

Todo começo ou recomeço trazem apreensão. Como agir diante do novo? O que fazer com os projetos já iniciados e aqueles que devemos iniciar? A expectativa pelo novo pode nos assustar, contudo, para que nossa vida não perca o sentido, precisamos ter coragem e continuar, e ainda, ser ousados para iniciarmos àqueles projetos que trazemos em nosso coração, mas, antes de tudo, precisamos colocar nossa esperança em Deus.

Importante é não termos pressa, não querermos resultados imediatos. Devemos ter consciência que não temos solução para tudo! Nos tempos atuais todos temos pressa. Precisamos lembrar de que sempre precisamos de Deus, e também uns dos outros.

Para melhor compreendermos como proceder diante do novo, nos diz Sagrada Escritura: “Tudo tem seu tempo, há um momento oportuno para cada empreendimento debaixo do céu. Tempo de nascer, e tempo de morrer; tempo de plantar, e tempo de colher a planta. Tempo de matar, e tempo de sarar; tempo de destruir, e tempo de construir. Tempo de chorar, e tempo de rir; tempo de gemer, e tempo de dançar. Tempo de atirar pedras, e tempo de ajuntá-las; tempo de abraçar, e tempo de se separar. Tempo de buscar, e tempo de perder; tempo de guardar, e tempo de jogar fora. Tempo de rasgar, e tempo de costurar; tempo de calar, e tempo de falar. Tempo de amar, e tempo de odiar; tempo de guerra, e tempo de paz. Que aproveita trabalhar e esforçar-se? Observei as tarefas que Deus impôs aos homens, para com elas se ocuparem. As coisas que ele fez são todas boas no momento oportuno. Além disso, ele dispôs que fossem permanentes, mas sem que o homem chegue a conhecer o princípio e o fim da ação que Deus realiza. E compreendi que não há outra felicidade para o homem senão alegrar-se e assim alcançar a felicidade durante a vida. Igualmente, o homem comer e beber e, mediante o seu trabalho, desfrutar da felicidade é também dom de Deus. Compreendi que tudo o que Deus fez, permanece para sempre. Nada se pode acrescentar, nada se pode tirar; Deus assim o fez, para que o temam.O que foi, já havia sido; o que será, já foi; Deus recupera o que passou”.(Ecl 3, 1-15)

“A escuta da Palavra de Deus leva-nos em primeiro lugar a prezar a exigência de viver segundo esta lei ‘escrita no coração’ (cf. Rm 2, 15; 7, 23).1  Depois, Jesus Cristo dá aos homens a Lei nova, a Lei do Evangelho, que assume e realiza de modo sublime a lei natural, libertando-nos da lei do pecado, por causa do qual, como diz São Paulo, ‘querer o bem está ao meu alcance, mas realizá-lo não’ (Rm 7, 18), e dá aos homens, por meio da graça, a participação na vida divina e a capacidade de superar o egoísmo.2

Então, para começar e viver bem este ano, tomemos conhecimento de que, no uso do seu tempo, ‘todo o ser humano que atinge a consciência e a responsabilidade experimenta um chamamento interior para realizar o bem’3 e, consequentemente, evitar o mal”. (cf. Verbum Domini 9) 

1 Cf. PONT. COMISSÃO BÍBLICA, Bíblia e moral. Raízes bíblicas do agir cristão (11 de Maio de 2008), Cidade do Vaticano 2008, nn. 13, 32 e 109.

2 Cf. COMISSÃO TEOLÓGICA INTERNACIONAL, À procura de uma ética universal: novo olhar sobre a lei natural, Cidade do Vaticano 2009, n. 102.

3 COMISSÃO TEOLÓGICA INTERNACIONAL, À procura de uma ética universal: novo olhar sobre a lei natural, Cidade do Vaticano 2009, n. 39.

 

INTENÇÕES DO MÊS

A Igreja, através do Santo Papa, nos indica um ano (outubro 2012 a outubro de 2013) para vivermos de forma preferencial a fé.

Coloquemos desde já como intenção em nossas orações este ano. Não vamos esperar chegar outubro para começar a buscar intensificar nossas atitudes de fé, mas, já agora, rezemos em primeiro lugar para que sejamos pessoas de fé, verdadeiros testemunhos para o mundo e principalmente para os mais próximos, aqueles de nossa casa, a fim de que todo o mundo creia e dê testemunho da presença de Deus!

“Nesta perspectiva, do Ano da Fé, peçamos uma autêntica e renovada conversão ao Senhor, único Salvador do mundo. Em virtude da fé, esta vida nova plasma toda a existência humana segundo a novidade radical da ressurreição. Peçamos também que na medida da sua livre disponibilidade, os pensamentos e os afetos, a mentalidade e o comportamento do homem sejam pouco a pouco purificados e transformados, ao longo de um itinerário jamais completamente terminado nesta vida. A ‘fé, que atua pelo amor’ (Gl 5, 6), torna-se um novo critério de entendimento e de ação, que muda toda a vida do homem (cf. Rm 12, 2; Cl 3, 9-10; Ef 4, 20-29; 2 Cor 5, 17)”. (cf. Porta Fidei)

Que o Senhor nos ajude neste tempo, já partir deste início de ano, a vivermos buscando crescer em nossa fé, e a sermos testemunhos de conversão.

Que este e o próximo ano sejam tempos de muita Graça!

Sagrado Coração de Jesus, eu espero e confio em Vós!


REZEMOS

    Peçamos ao Senhor que ajude a nós e ao mundo inteiro a crescermos na fé e na esperança, buscando uma conversão profunda e assim possamos aproveitar bem o nosso tempo, em seu serviço, servindo àqueles que tanto precisam de nossa ajuda e testemunho. Então rezemos: “Senhor, tu foste nosso abrigo, de geração em geração. Antes que nascessem os montes e fossem engendrados a terra e o mundo, desde sempre e para sempre tu és Deus. Reduzes o homem ao pó, dizendo: ‘Retornai, filhos dos homens!’ A teus olhos, mil anos são como o dia de ontem, que passou, e como a vigília noturna. Tu os arrebatas; são como um sonho matinal, transitórios como a erva: de manhã floresce e viceja, de tarde murcha e seca. Sim, nós somos consumidos por tua cólera, abalados por teu furor. Puseste nossas culpas diante de ti, nossos segredos à luz de tua face. Assim nossos dias dissipam-se diante de tua cólera, findamos os anos como um pensamento fugaz. Setenta anos é a duração de nossa vida; oitenta anos, se for vigorosa. Mas vangloriar-se disso é fadiga inútil, porque passam depressa, e nós levantamos vôo. Quem chega a compreender que tua ira seja tão veemente, e tua cólera tão terrível? Por isso ensina-nos a dispor de nossos dias, de modo a adquirirmos um coração sensato! Volta-te, Senhor!  Até quando? Tem compaixão de teus servos! Sacie-nos, desde a manhã, tua misericórdia e exultaremos de alegria, todos os dias. Dá-nos alegria pelos dias em que nos humilhaste, pelos anos em que provamos a desgraça! Que tua obra se manifeste a teus servos, e a teus filhos o teu esplendor! Desça sobre nós a bondade do Senhor nosso Deus! Consolida para nós a obra de nossas mãos, sim, consolida a obra de nossas mãos!(cf. Salmo 89)

    Jesus manso e humilde de coração, fazei o meu coração semelhante ao teu!

Sergio Luiz de Freitas  Rodrigues

                                                                                                                                                                                      Fundador e Moderador Geral


Compartilhar

Coração de Sião - Dezembro de 2011

| Imprimir | PDF 

Queridos Amigos, Associados e Benfeitores de Sião,

É TEMPO DE RENASCIMENTO!

Mais um ano, o Senhor, vem ao nosso encontro, simples, humilde .

            Devemos nos fazer esta pergunta: o que a cena do nascimento de Jesus representa para mim?

            Muitas respostas podem ser dadas a esta pergunta, porém, é necessário que neste tempo, façamos uma séria reflexão. Repensemos a nossa postura,  as nossas atitudes, pois muitos são os que hoje, se dizem cristãos!

            Mas o que é ser cristão? A resposta é simples porém, comprometedora. É ser outro Cristo! E como ser outro Cristo? O que fazer para termos a postura de Cristo e através de nossas atitudes sermos verdadeiramente outros Cristo? É o próprio Jesus que nos responde: “'Na verdade eu te digo: quem não nascer do alto, não pode ver o reino de Deus'. Podemos como Nicodemos perguntar-Lhe: 'Como pode nascer alguém que já é velho? Acaso pode entrar de novo no ventre da mãe e nascer?' Jesus nos responde: 'Na verdade eu te digo: quem não nascer da água e do Espírito Santo não pode entrar no reino de Deus. O que nasceu da carne é carne; o que nasceu do Espírito é espírito. Não te admires de Eu ter dito: deveis nascer do alto. O vento sopra onde quer; tu ouves o barulho, mas não sabes de onde vem nem para onde vai. Assim é todo aquele que nasceu do Espírito'. Nicodemos perguntou-lhe: 'Como pode acontecer isso?' Jesus respondeu: 'Tu és mestre em Israel (somos mestres em tantas coisas) e não compreendes estas coisas? Na verdade eu te digo: falamos do que sabemos e testemunhamos o que vimos, mas não aceitais o nosso testemunho. Se não acreditais quando vos falo de coisas terrenas, como haveis de acreditar se vos falar de coisas celestes? (cf. Jo 3, 3-12)

            Então, a partir do que nos foi falado acima, devemos entender que este tempo que se inicia, nos chama a atenção para uma preparação pessoal, um renascimento, da água e do Espírito.

            Precisamos cuidar, para que as influências do mundo, através do comércio, da mídia... não nos afastem das verdadeiras e eternas propostas deste tempo, feitas pelo Senhor, que nos são apresentadas através liturgia do Tempo do Advento pela Igreja Católica Apostólica Romana. Devemos nos preparar espiritualmente, pois precisamos “que todo o nosso espírito, toda a nossa alma e corpo se conservem sem mancha para a vinda de Nosso Senhor Jesus Cristo”. (cf. 1 Tes 5, 23).

            Diante de tantas propostas errôneas, absurdos, atitudes imorais, abusos de poder e muitas situações que nos impressionam e preocupam. Como agir? Como proceder? O que fazer?

            Como vimos, precisamos de forma pessoal, que nossa alma, espírito e corpo sejam conservados sem mancha, para a vinda de Jesus Cristo. Para que assim aconteça, nos alimentemos e fortifiquemos com todo o ensinamento deste tempo, pois é o próprio Jesus que está sempre intercedendo junto ao Pai por nós. “Não estou pedindo que os tires do mundo, mas que os guardes do mal. Eles não são do mundo, como eu também não sou do mundo. Consagra-os na verdade: a tua palavra é verdade. Assim como tu me enviaste ao mundo, também eu os enviei ao mundo. Em favor deles eu mesmo me consagro, para que também eles sejam consagrados na verdade. Não rogo apenas por eles mas por todos aqueles que acreditarem em mim pela sua palavra. Que todos sejam um como tu, Pai, estás em mim e eu em ti, para que eles estejam em nós, e o mundo creia que tu me enviaste”. (Jo 17, 15-21)


INTENÇÕES DO MÊS

Este é um tempo favorável para que possamos mudar o rumo de nossas vidas.

Peçamos ao Senhor que nos ajude neste tempo  a sermos testemunhos de conversão.

O Tempo do Advento é um tempo de espera e esperança, que vai preparando nosso espírito para celebrar o Nascimento do Verbo de Deus. As leituras da Sagrada Escritura e os textos das orações já tratam disso. A partir deste mês, façamos esta experiência de comunhão com o Senhor através de sua Palavra que cura, santifica e salva!

Coloquemos para o Senhor como intenção para este mês. Em primeiro lugar, um pedido pessoal. Que tenhamos uma profunda conversão, que nosso coração seja uma manjedoura, lugar simples e que nele o Senhor habite, transformando todo o nosso interior e assim possamos ser sal da terra, luz no mundo, fermento na massa.

Peçamos ainda por nossos familiares, pelos poderes públicos e por todas as autoridades do  mundo.

Peçamos também pela Igreja, pelas intenções do Santo Padre, o Papa, por nossos bispos, por nossos sacerdotes, diáconos, seminaristas, religiosos e leigos consagrados.  

            E que o próximo  ano seja um ano de muita Graça!

Sagrado Coração de Jesus, eu espero e confio em Vós!


REZEMOS

Rezemos: “A ti, Senhor, elevo minha alma. Em ti, meu Deus, confio: que eu não fique decepcionado, nem triunfem sobre mim os inimigos! Na verdade, não ficam decepcionados os que em ti esperam, decepcionados ficarão os que traírem a fé por uma futilidade. Indica-me, Senhor, teus caminhos, revela-me tuas sendas! Dirige-me no caminho da verdade e me ensina, porque tu és o Deus, meu salvador, e em ti espero, todos os dias. Lembra-te, Senhor, que tua ternura e teus favores são eternos! Não recordes os pecados de minha juventude nem minhas faltas! Lembra-te de mim segundo tua misericórdia, por causa de tua bondade, Senhor! O Senhor é bom e justo; por isso mostra o caminho aos pecadores, encaminha os humildes segundo a justiça, ensina aos humildes o caminho. Todas as sendas do Senhor são amor e fidelidade para os que guardam sua aliança e suas leis. Por causa de teu nome, Senhor, perdoa minha culpa, que é grave! Há alguém que tema o Senhor? Ele lhe mostrará o caminho a escolher. Viverá na felicidade e sua posteridade possuirá a terra. O Senhor se faz íntimo dos que o temem e lhes dá a conhecer sua aliança. Meus olhos estão sempre fixos no Senhor, porque ele livra do laço os meus pés. Volta-te para mim e tem piedade, pois estou só e na miséria. Alivia-me as angústias do meu coração e livrai-me das aflições! Vê minha miséria e tribulação e perdoa-me todos os pecados! Guarda minha alma e salva-me! Que eu não fique decepcionado por ter-me refugiado em ti! A honradez e a retidão me sejam de valia, pois em ti ponho minha esperança. Ó Deus, salva Israel de todas as tribulações!” (cf. Salmo 24)

Compartilhar
Back to top

Copyright © Comunidade Sião 2018

Template by Joomla Templates & Szablony Joomla.