Coração de Sião

Coração de Sião - Maio de 2013

| Imprimir | PDF 

CORAÇÃO DE SIÃO – MAIO DE 2013

 

É TEMPO DE ESPERAR E PERSEVERAR...

 

Estamos em um momento desafiador na história da humanidade, pois a cada dia, e momento nos são apresentados contra valores como grandes virtudes. De forma quase geral, homens e mulheres que nos são apresentados como modelos a seguirmos, esses que vivem de forma equivocada, usando os dons recebidos em seu favor, para sua promoção, a partir de uma suposta liberdade, a qual na realidade em muitas situações é na verdade libertinagem.

Diante desta situação, como agir?

Embora as situações que presenciamos, escandalizem àqueles que buscam os verdadeiros valores em favor da moral, da vida, da justiça... É preciso perceber que estamos em um tempo de muita graça, o tempo pascal, centro e princípio de toda a liturgia, e da Igreja, período em que Deus, através de seu Filho se manifesta de forma intensa. Na caminhada deste período, vivemos cinquenta dias de espera do cumprimento da promessa de Jesus aos seus, nos quais eles perseveraram na oração. Os discípulos “reunidos, perguntavam-lhe: ‘Senhor, por acaso será agora que vais restabelecer o reino de Israel?’ Respondeu Ele: ‘A vós não compete saber os tempos nem os momentos que o Pai fixou em seu poder. Mas recebereis uma força, o Espírito Santo que virá sobre vós; e sereis minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judéia e Samaria, até os confins da terra’”. (At 1, 6-8)

É preciso que tenhamos consciência de que o momento, que é desafiador nos convoca a agirmos não em nosso favor, por nossos próprios interesses, mais em busca de uma nova realidade, pois a promessa: “mas recebereis uma força, o Espírito Santo que virá sobre vós”, também é para nós, é para você que crê, que tem fé!

Se crermos, permanecermos em oração e esperarmos no Senhor, vamos ver que “assim diz o Senhor Deus: Não é por causa de vós que eu ajo, mas por causa de meu santo nome que vós profanastes entre as nações aonde fostes. Santificarei o meu grande nome, profanado entre as nações no meio das quais o profanastes. As nações saberão que eu sou o Senhor – oráculo do Senhor Deus – quando por meio de vós mostrar minha santidade à vista delas. Eu vos tomarei dentre as nações, recolhendo-vos de todos os países, e vos conduzirei à vossa terra. Derramarei sobre vós água pura e sereis purificados. Eu vos purificarei de todas as impurezas e de todos os ídolos. Eu vos darei um coração novo e incutirei um espírito novo dentro de vós. Removerei de vosso corpo o coração de pedra e vos darei um coração de carne. Incutirei o meu espírito dentro de vós e farei com que andeis segundo minhas leis e cuideis de observar os meus preceitos. Habitareis no país que dei a vossos pais. Sereis o meu povo e eu serei o vosso Deus”. (cf. Ez 36, 22-28)

Para concluirmos vejamos a mensagem de Nossa Senhora em Medjugorje do dia 25 de abril de 2013: “Queridos filhos, os convido a serem no espírito um só com o Meu Filho. Os convido de modo que, através da oração e por meio da Santa Missa, quando Meu Filho se une a vocês de modo particular, procurem ser como Ele. A fim de que estejam, como Ele, sempre prontos a cumprir a vontade de Deus e não pedirem que se realize a de vocês. Porque, filhos Meus, pela vontade de Deus vocês são e existem, mas sem a vontade de Deus, vocês são um nada. Eu, como Mãe, os peço de falarem da Glória de Deus com a vida de vocês, porque deste modo vocês glorificarão também a vocês mesmos, segundo a sua vontade. Mostrem a todos humildade e amor ao próximo. Por meio desta humildade e deste amor, Meu Filho os salvou e abriu para vocês o caminho em direção ao Pai Celestial. Eu os peço de abrirem o caminho ao Pai Celestial a todos aqueles que não o conheceram e não abriram o próprio coração ao seu amor. Com a vida de vocês abram o caminho a todos aqueles que estão ainda vagando a procura da verdade. Filhos Meus, sejam os Meus Apóstolos que não viveram em vão. Não esqueçam de que vocês estarão de frente ao Pai Celestial e falarão de vocês mesmos. Estejam prontos! Novamente os advirto: rezem por aqueles a quem o Meu Filho chamou, abençoou as suas mãos e os deu a vocês. Rezem, rezem, rezem pelos seus sacerdotes. Obrigada”.

 


 

INTENÇÕES DO MÊS

 

Neste mês vamos colocar como primeira intenção a nossa conversão pessoal, sim a nossa, a minha e a sua! Para que tenhamos um coração dócil ao Senhor, para que Ele possa operar em nossos corações todas as transformações necessárias para deixemos as situações que não pertencem a Ele no mundo e nos dediquemos a oração e ao uso de nossos dons e virtudes em favor do próximo.

Que muitos possam fazer uma grande experiência como Igreja, acolhendo os peregrinos que virão para a Semana Missionária que antecede a Jornada Mundial da Juventude.

Ainda pela JMJ – por todas as famílias acolhedoras, voluntários, equipes organizadoras de nossas dioceses e da arquidiocese do Rio de Janeiro, por todos do poder publico 

Jesus eu confio em Vós!

Sagrado Coração de Jesus, eu espero e confio em Vós!


REZEMOS 

 

Rezemos com o profeta Oséias: “Volta, ao Senhor teu Deus, pois tropeçaste em tua falta. Tomai convosco palavras e voltai ao Senhor. Dizei-lhe: ‘Perdoa toda culpa, aceita o que é bom. Queremos oferecer os frutos de nossos lábios’. A Assíria não nos salvará, não montaremos a cavalo e já não diremos “nosso Deus” à obra de nossas mãos, porque é em ti que o órfão encontra misericórdia. Eu curarei as suas apostasias, eu os amarei generosamente, pois minha cólera afastou-se dele. Serei orvalho para Israel, que florescerá como o lírio, lançará raízes como o cedro do Líbano; seus galhos se espalharão, seu esplendor será o da oliveira e seu perfume, o do Líbano. Retornarão os que habitavam à sua sombra, farão reviver o trigo. Florescerão como a videira, sua fama será como a do vinho do Líbano. Efraim! Que tenho ainda a ver com os ídolos? Sou eu quem lhe responde e quem olha para ele. Eu sou um cipreste verdejante, é de mim que procede teu fruto. Quem é sábio, compreenda isto, quem é inteligente, reconheça-o! (cf. Os 14, 2-10)

1 Pai Nosso; 1 Ave Maria; 1 Glória.

Jesus eu confio em Vós!

Compartilhar

Coração de Sião - Abril de 2013

| Imprimir | PDF 

 

CORAÇÃO DE SIÃO – ABRIL DE 2013

 

A MISERICÓRDIA TRIUNFA SOBRE O JUÍZO

 

Este mês teve início com um ciclo favorável da liturgia, o tempo pascal, centro e ápice de toda a celebração litúrgica.

Celebramos com muita alegria a vitória de Nosso Senhor Jesus Cristo sobre a morte e o pecado.

Fiquemos atentos ao que nos é apresentado pelo apóstolo São Tiago: “Falai e procedei como quem há de ser julgado pela lei da liberdade. Pois sem misericórdia será julgado quem não fez misericórdia. A misericórdia triunfa sobre o juízo”. (Tg 2,12-13)

Para este tempo, o Senhor em uma aparição no dia 22 de fevereiro de 1931, numa cela do convento de Plock (Polônia) pediu a Santa Faustina, que pintasse uma imagem, apresentando-lhe o modelo na visão. Ele disse: "Pinta uma Imagem de acordo com o modelo que estás vendo, com a inscrição: ‘Jesus eu confio em Vós’. Desejo que esta Imagem seja venerada, primeiramente, na vossa capela e, depois, no mundo inteiro. Prometo que a alma que venerar esta Imagem não perecerá. Prometo também, já aqui na Terra, a vitória sobre os inimigos e, especialmente, na hora da morte. Eu mesmo a defenderei como Minha própria glória. (...) Eu desejo que haja a Festa da Misericórdia. Quero que essa Imagem, que pintarás com o pincel, seja benzida solenemente no primeiro domingo depois da Páscoa, e esse domingo deve ser a Festa da Misericórdia. Desejo que os sacerdotes anunciem essa Minha grande misericórdia para com as almas pecadoras" (Diário de Santa Faustina, 47-49). "Por meio dessa Imagem concederei muitas graças às almas; que toda alma tenha, por isso, acesso a ela" (Diário de Santa Faustina, 570).

E o Senhor acrescentou: "Desejo que a Festa da Misericórdia seja refúgio e abrigo para todas as almas, especialmente para os pecadores (...). Derramo todo um mar de graças sobre as almas que se aproximam da fonte da Minha misericórdia. A alma que se confessar e comungar alcançará o perdão das culpas e das penas. Nesse dia, estão abertas todas as comportas divinas, pelas quais fluem as graças. Que nenhuma alma tenha medo de se aproximar de Mim, ainda que seus pecados sejam como o escarlate. A Minha misericórdia é tão grande que, por toda a eternidade, nenhuma mente, nem humana, nem angélica a aprofundará" (Diário de Santa Faustina, 699). "Ainda que a alma esteja em decomposição como um cadáver e ainda que humanamente já não haja possibilidade de restauração, e tudo já esteja perdido, Deus não vê as coisas dessa maneira. O milagre da misericórdia de Deus fará ressurgir aquela alma para uma vida plena" (Diário de Santa Faustina, 1448).

São tantas recomendações de Jesus em nosso favor, ou melhor, em favor de nossas almas; é de impressionar o zelo que Ele tem por amor a humanidade, por cada homem e mulher, criaturas que somos gerados a partir do Amor infinito do Pai.

Observemos ainda que Ele nos fala de uma hora específica em que devemos recordar diariamente este derramamento da Divina Misericórdia. Em outubro de 1937, Cracóvia (Polônia) recomendou que fosse honrada a hora da Sua morte e que ao menos por um instante de oração se recorresse ao valor e aos méritos da Sua paixão. "... todas as vezes que ouvires o bater do relógio, às três horas da tarde, deves mergulhar toda na Minha misericórdia, adorando-A e glorificando-A. Implora a onipotência dela em favor do Mundo inteiro e especialmente dos pobres pecadores (...) Nessa hora, conseguirás tudo para ti e para os outros. Nessa hora, realizou-se a graça para todo o Mundo: a misericórdia venceu a justiça (...) procura rezar, nessa hora, a Via-sacra, e se não puderes fazer a Via-sacra, entra, ao menos por um momento na capela e adora o Meu Coração, que está cheio de misericórdia no Santíssimo Sacramento. Se não puderes sequer ir à capela, recolhe-te em oração onde estiveres, ainda que seja por um breve momento. Exijo honra à Minha misericórdia de toda criatura" (Diário de Santa Faustina, 1572). "A fonte da Minha misericórdia foi na cruz aberta com a lança para todas as almas, não excluí a ninguém" (Diário de Santa Faustina, 1182).

 


INTENÇÕES DO MÊS

Neste tempo de Páscoa, devemos perseverar em oração, pedindo ao Senhor por nossa conversão e de todos os pecadores.

É um tempo como vimos, de um derramamento abundante da Misericórdia Divina, por isso, clamemos a Misericórdia do Senhor sobre nós e tenhamos a reta intenção de levarmos aos sofredores e necessitados a consolação para suas almas, através da presença da imagem de Jesus Misericordioso, como pediu a Santa Irmã  Faustina.

Lembremos ainda de todos os que sofrem com as guerras, com a fome, lembremos dos encarcerados, dos doentes...

Coloquemos em nossas intenções também o nosso Santo Padre, o Papa Francisco, em suas necessidades e de toda a Igreja.

Ainda precisamos pedir a Misericórdia Divina que providencie para a Diocese de Petrópolis, famílias e voluntários que abram os seus corações e suas casas para acolherem os peregrinos que virão participar da Jornada Mundial da Juventude.

Jesus eu confio em Vós!

Sagrado Coração de Jesus, eu espero e confio em Vós!


REZEMOS 

Rezemos neste tempo pedindo a intercessão de Santa Faustina:

Ó Jesus, que fizeste de Santa Faustina uma grande devota de Vossa infinita misericórdia, concede-me por sua intercessão, se isto for conforme a Tua santíssima vontade, a graça... que te peço. Eu pecador não sou digno da Vossa misericórdia, mas olhe o espírito de sacrifício e entrega de Santa Irmã Faustina e gratifique as suas virtudes, escutando as súplicas que através dela te apresento com confiança.          

Jesus, manso e humilde de coração, fazei o nosso coração semelhante ao Vosso!

Façamos nossa profissão de fé rezando o Credo.

1 Pai Nosso; 1 Ave Maria; 1 Glória.

Santa Irmã Faustina... Rogai por nós!

Jesus eu confio em Vós!

Compartilhar

Coração de Sião - Março de 2013

| Imprimir | PDF 

CORAÇÃO DE SIÃO – MARÇO DE 2013

 

...EM NENHUM MOMENTO NOS SUBMETEMOS A ESSAS PESSOAS.

 

Quaresma, tempo de oração, renúncia, penitência, abstinência, momento do propício para que, de forma pessoal, nos questionemos e reflitamos, como está o nosso processo de conversão.
Para isso, precisamos de referências... a leitura orante da Bíblia é indispensável. Lá entre tantos personagens, temos como referência de conversão, São Paulo. Ele mesmo nos fala sobre isto, através da carta aos gálatas: “as igrejas de Cristo na Judéia não me conheciam pessoalmente. Elas apenas ouviam dizer: 'Aquele que nos perseguia, agora está anunciando a fé que antes procurava destruir'. E louvavam a Deus por minha causa. Catorze anos depois, voltei a Jerusalém com Barnabé e levei também Tito comigo. Fui lá seguindo uma revelação. Expus a eles o Evangelho que anuncio aos pagãos, mas o expus reservadamente as pessoas mais notáveis, para não me arriscar a correr ou ter corrido em vão. Nem Tito, meu companheiro, que é grego, foi obrigado a circuncidar-se. Nem mesmo por causa dos falsos irmãos, os intrusos que se infiltraram para espionar a liberdade que temos em Jesus Cristo, a fim de nos tornar escravos. Mas para que a verdade do Evangelho continuasse firme entre vocês, em nenhum momento nos submetemos a essas pessoas. No que se refere àqueles mais notáveis - pouco me importa o que eles eram então, porque Deus não faz diferença entre as pessoas - esses mesmos notáveis nada mais me impuseram. Pelo contrário, viram que a mim fora confiada à evangelização dos não circuncidados, assim como a Pedro fora confiada à evangelização dos circuncidados. De fato, aquele que tinha agido em Pedro para o apostolado entre os circuncidados, também tinha agido em mim a favor dos pagãos. Por isso, Tiago, Pedro e João, considerados como colunas, reconheceram a graça que me fora concedida, estenderam a mão a mim e a Barnabé em sinal de comunhão: nós trabalharíamos com os pagãos, e eles com os circuncidados. Eles pediram apenas que nos lembrássemos dos pobres, e isso eu tenho procurado fazer com muito cuidado”. (Gl 1, 23 - 2,10)
São Paulo nos fala “Fui lá seguindo uma revelação”, nos dias de hoje, ficamos “chocados”, quando aquele que detém o Ministério Petrino, o papa, nos comunica ter tomado “uma decisão de grande importância para a vida da Igreja. Depois de ter examinado repetidamente a minha consciência diante de Deus, cheguei à certeza de que as minhas forças, devido à idade avançada, já não são idôneas para exercer adequadamente o ministério petrino. Estou bem consciente de que este ministério, pela sua essência espiritual, deve ser cumprido não só com as obras e com as palavras, mas também e igualmente sofrendo e rezando. Todavia, no mundo de hoje, sujeito a rápidas mudanças e agitado por questões de grande relevância para a vida da fé, para governar a barca de São Pedro e anunciar o Evangelho, é necessário também o vigor quer do corpo quer do espírito; vigor este, que, nos últimos meses, foi diminuindo de tal modo em mim que tenho de reconhecer a minha incapacidade para administrar bem o ministério que me foi confiado. Por isso, bem consciente da gravidade deste ato, com plena liberdade, declaro que renuncio ao ministério de Bispo de Roma, Sucessor de São Pedro, que me foi confiado pela mão dos Cardeais em 19 de Abril de 2005” (trecho do discurso de renúncia do Papa Bento XVI em 10/02/2013).
Os exemplos acima, nos ajudam a descobrir alguns valores necessários para a conversão e assim, em processo de conversão, sejamos testemunhas no meio e nos ambientes em que convivemos, pois a sociedade nos tempos de hoje precisa de testemunhas de fé, de renúncia e que entre tantos outros valores conheçam seus limites e respeitem o limite dos outros.             
 

 
INTENÇÕES DO MÊS
Neste tempo de Quaresma, precisamos pedir por nossa conversão e de todos os pecadores.
Agora, especialmente, não podemos esquecer-nos de rezar pelo nosso Papa Bento XVI, que num ato de humildade e amor à Igreja, reconhecendo ainda as necessidades desta mesma Igreja, abriu mão do seu pontificado.
Rezemos ainda pedindo ao Espírito Santo que ilumine os Cardeais que estarão reunidos no Conclave, para escolher o nosso próximo pontífice, o Papa.
Rezemos pela Jornada Mundial da Juventude, por todos os responsáveis por sua organização, pelos voluntários e famílias que irão acolher os peregrinos.
Rezemos ainda pelos peregrinos que farão em nosso Brasil, e de um modo todo especial no Rio de Janeiro, esta experiência de fé, neste momento novo da Igreja já com o nosso novo Papa.       
Sagrado Coração de Jesus, eu espero e confio em Vós!
 
REZEMOS 
Rezemos a oração pronunciada pelo Papa Bento XVI em seu último Angelus como Pontífice e a tomemos como nossa, para este tempo que deve ser de oração para todos os cristãos.
Então oremos:
“Obrigado! O Senhor me chama a ‘subir o monte’, a dedicar-me ainda mais à oração e à meditação. Mas isto não significa abandonar a Igreja, ao contrário, se Deus me pede isto é para que eu possa continuar a servi-la com a mesma dedicação e o mesmo amor com o qual tenho buscado fazê-lo até agora, mas de modo mais adequado à minha idade e às minhas forças. Invoquemos a intercessão da Virgem Maria: ela nos ajude a todos a seguir sempre o Senhor Jesus, na oração e nas obras de caridade”.
Oremos ainda:
Pai bondoso, te rogamos pela tua santa Igreja Católica, para conduzi-la à verdade, com toda paz. Onde estiver corrompida, purificá-la, onde estiver no erro, corrigi-la; onde se tenha desviado, reformá-la. No que for justa, fortalecê-la; de quanto necessita, provê-la; e onde estiver dividida, reuní-la. Por amor de Jesus Cristo, teu filho, nosso salvador. Amém.
Jesus, manso e humilde de coração, fazei o nosso coração semelhante ao Vosso!
Façamos nossa profissão de fé,  rezando o Credo.
1 Pai Nosso; 1 Ave Maria; 1 Glória.
Compartilhar
Back to top

Copyright © Comunidade Sião 2019

Template by Joomla Templates & Szablony Joomla.