Coração de Sião

Coração de Sião - Dezembro de 2012

| Imprimir | PDF 

É TEMPO DE ENCONTRAR COM O SENHOR!

Nos dias de hoje ouvimos o seguinte chavão: “o tempo está passando muito rápido”!

Se esta afirmação é real, precisamos fazer uma revisão na utilização de nosso tempo, para o aproveitarmos bem.

O mês de dezembro nos trás a novidade de um novo ano, tempo novo, de preparação, de espera, de encontro.

O ano litúrgico se antecipa ao civil. A liturgia, com o tempo do Advento que neste ano começa no primeiro domingo de dezembro, nos chama a atenção de que antes de toda a ação é preciso uma preparação espiritual. Precisamos nos preparar para este momento novo de nossa vida.

A primeira solenidade do novo ano litúrgico é o Natal, comemoração do nascimento de Jesus, primeira vinda do Filho de Deus entre os homens, período que através da lembrança, devemos voltar nossos corações para a expectativa da segunda vinda de Cristo no fim dos tempos. Por esses motivos, é o Advento momento propício para que de forma piedosa, tomemos a consciência que precisamos de conversão e purificação, para esperarmos a vinda definitiva de Jesus.

Ao nascer, Jesus recebeu a visita dos reis magos como nos relata São Mateus:“Tendo nascido Jesus em Belém da Judéia no tempo do rei Herodes, alguns magos do Oriente chegaram a Jerusalém e perguntaram: ‘Onde está o rei dos judeus, que acaba de nascer? Vimos sua estrela no Oriente e viemos prestar-lhe homenagem’. Ao ouvir isso, o rei Herodes ficou alarmado e com ele toda Jerusalém. Reuniu todos os sumos sacerdotes e os escribas do povo, e começou a perguntar-lhes onde deveria nascer o Cristo. ‘Em Belém da Judéia. Herodes chamou, os magos e informou-se com eles cuidadosamente sobre o tempo exato em que a estrela tinha aparecido. Depois, mandou-os a Belém e disse: Ide e investigai bem sobre o menino e, quando o tiverdes encontrado, comunicai-me, para que eu também possa ir prestar-lhe homenagem’. Guiados pela estrela, chegaram no lugar onde estava o Menino, encheram-se de grande alegria. Depois, avisados em sonho para não voltarem a Herodes, retornaram para sua terra por outro caminho”.(cf. Mt 2, 1-12)

Esta também deve ser nossa atitude, após o encontro com o Senhor, não voltarmos pelo mesmo caminho, não permanecermos vazios, mais plenos da presença Senhor. E que nosso coração seja o lugar mais simples, porém acolhedor, como aquela manjedoura na qual Maria colocou o Menino Deus após o nascimento.

O tempo do Advento é para isso: preparar o coração para que não aconteça o que aconteceu no nascimento de Jesus. Nossa Senhora andou de casa em casa procurando o lugar para dar a luz ao Menino, e não havia lugar para eles.

Abramos o coração, para que nele o Senhor nasça e reine!   

 


INTENÇÕES DO MÊS

Para nós que cremos na vida, é tempo de nascimento, tempo de vida nova!

Estamos passando por momentos difíceis. Somos chamados a ser continuadores da criação, ou seja, continuar a obra do Criador, que é Deus. Temos assistido nestes tempos, o poder tomado de forma arbitrária, irresponsável, promotor de uma cultura contra a vida, contra a criação e assim contra o Criador!

O Brasil e todos nós, povo brasileiro, precisamos tomar consciência dos males que o aborto e toda a política contra a vida promovem em nosso meio e sociedade.

Hoje, países desenvolvidos revêem suas leis a favor do aborto, outros como a Eslováquia, Polônia, Irlanda já se posicionaram contra o aborto.

Mais uma vez, e sempre, rezemos pelas autoridades para que neste tempo de encontro com o Senhor de modo especial, façam esta experiência do encontro com Jesus Menino e mudem a sua trajetória.

Não esqueçamos ainda da Jornada Mundial da Juventude, por sua preparação, e realização.

E pela posse no dia 16 de dezembro de nosso bispo, Dom Gregório Paixão.  

Sagrado Coração de Jesus, eu espero e confio em Vós!

 

REZEMOS 

Com Nossa Senhora rezemos o Magnificat: “Minha alma engrandece o Senhor e rejubila meu espírito em Deus, meu Salvador, porque olhou para a humildade de sua serva. Eis que de agora em diante me chamarão feliz todas as gerações, porque o Poderoso fez por mim grandes coisas: O seu nome é santo. Sua misericórdia passa de geração em geração para os que o temem. Mostrou o poder de seu braço e dispersou os que se orgulham de seus planos. Derrubou os poderosos de seus tronos e exaltou os humildes. Encheu de bens os famintos e os ricos despediu de mãos vazias. Acolheu Israel, seu servo, lembrando-se de sua misericórdia, conforme o que prometera a nossos pais, em favor de Abraão e de sua descendência, para sempre”. (cf. Lc 1, 46-55)

Ó Maria concebida sem pecado! Rogai por nós que recorremos a vós!

Jesus, manso e humilde de coração, fazei o nosso coração semelhante ao Vosso!

1 Pai Nosso; 1 Ave Maria; 1 Glória.

Compartilhar

Coração de Sião - Novembro de 2012

| Imprimir | PDF 

QUAL O TEMPO DE NOSSA VIDA?

 

Qual o tempo de nossa vida? Não sabemos, e Jesus nos diz: “Quanto ao último dia e a hora, ninguém sabe, quando será, nem os anjos do céu, nem o Filho, mas somente o Pai. Ficai de sobreaviso e vigiai, porque não sabeis quando será o momento”.(cf. Mc 13, 32-33)

Dizem-nos que precisamos aceitar Jesus. Esta afirmação precisa de uma reformulação. Não basta aceitar Jesus se não aceitamos Sua vontade para nossa existência terrena. Ele nos diz: “Se alguém quiser vir após mim, renuncie a si mesmo, tome a sua cruz e me siga. Pois quem quiser salvar a sua vida, vai perdê-la; mas quem perder a sua vida por amor de mim, há de encontrá-la. O que adianta alguém ganhar o mundo inteiro se vier a se prejudicar? Ou, o que se pode dar em troca da própria vida? Porque o Filho do homem há de vir na glória do Pai, com os anjos, e então dará a cada um conforme as suas obras.”. (Mt, 16, 24-27)

O que adianta aceitar Jesus e continuarmos com interesses contrários aos Dele – “O que adianta alguém ganhar o mundo inteiro, se vier a se prejudicar?”

O apóstolo Pedro negou Jesus por não concordar com a forma de Suas propostas para a salvação da humanidade, assim como hoje muitos que dizem que O aceitam, mas na realidade vivem de forma contrária ou fazendo promessas de prosperidade em Seu nome, o que contraria as Suas Palavras. Vejam este mesmo Pedro, após a ascensão de Jesus, cheio do Espírito Santo faz a sua primeira pregação que converte mais ou menos cinco mil homens, e ainda em nome de Jesus cura “um homem coxo de nascença, que todos os dias punham à porta do templo, chamada Formosa, para pedir esmola aos que entravam. Ao ver Pedro e João entrando no Templo, pediu deles uma esmola. Pedro fixou nele os olhos junto com João e lhe disse: ‘Olha para nós’. Ele os olhou com atenção, esperando receber alguma coisa. Pedro, porém, disse: ‘Não tenho nem ouro nem prata, mas o que tenho eu te dou: Em nome de Jesus Cristo Nazareno põe-te a caminhar!’. E, pegando-o pela mão direita, o levantou. Imediatamente se lhe firmaram os pés e os tornozelos. De um salto se pôs de pé e andava. Entrou com eles no Templo, caminhando, saltando e louvando a Deus. Todo o povo o viu andar e louvar a Deus. Reconheceram ser o coxo que se sentava para mendigar à Porta Formosa do Templo, e se encheram de espanto e pasmo pelo que lhe tinha acontecido”. (cf. At 3,2-10)

Celebramos em memória dos fiéis defuntos (finados), porque a Bíblia ensina que é santo e salutar o pensamento e a prática de rezar pelos mortos. E por isso nos apresenta o Apóstolo São Paulo, realizando essa salutar prática: "Que o Senhor lhe conceda a graça de obter misericórdia do Senhor naquele dia". (2ª Tm 1, 18).

Os católicos rezam pelos mortos porque, com a Bíblia e toda a Tradição, desde os tempos apostólicos, crêem na existência do Purgatório, ou seja, lugar de purificação em que as almas dos justos, que não se santificaram suficientemente neste mundo, hão de completar a sua purificação, “por intervenção do fogo”, para serem admitidas no Céu, “onde nada de impuro entrará” (Apocalipse 21,27). É, pois, o lugar em que as almas dos que morrem na amizade de Deus, isto é, em estado de graça - mas com alguma dívida por culpas leves, ou por culpas graves já perdoadas sem a devida expiação - se purificam inteiramente para entrar no Céu, a visão e posse de Deus. Ali gozarão para sempre da sua perfeita felicidade na glória celeste. Agora só a alma. E depois da ressurreição da carne, unida ao próprio corpo.

Fonte – bíblia Vozes - http://www.catequisar.com.br


INTENÇÕES DO MÊS

Neste mês temos várias intenções:

Pelo ano da fé, convocado e proclamado pelo Santo Padre o Papa Bento XVI, com início no dia 11 de outubro de 2012. Devemos então intensificar as nossas orações, em favor da nossa fé e pedindo pelos cristãos do mundo inteiro.

 Neste mês de modo especial, peçamos em favor de nossos parentes e amigos falecidos, para que eles possam estar diante de Deus, contemplar Sua face e gozar de eterna felicidade.

É bom lembrar que o fiel que visitar devotamente um cemitério e rezar, mesmo em espírito, pelos defuntos, concede-se indulgência aplicável somente às almas do purgatório. Será concedida indulgência plenária, entre os dias 1º a 8 de novembro; nos outros dias do ano a indulgência será parcial. 

Para lucrar a indulgência plenária em favor de uma alma do purgatório, além da repulsa de todo o afeto a qualquer pecado mesmo que venial, requerem-se além da execução da obra, o cumprimento das três condições seguintes: confissão sacramental, comunhão eucarística e oração nas intenções do Santo Padre o Papa Bento XVI.

Não esqueçamos a Jornada Mundial da Juventude, por sua preparação, e realização.

E por nosso bispo eleito, Dom Gregório Paixão.  

Sagrado Coração de Jesus, eu espero e confio em Vós!

 

REZEMOS 

Só em Deus minha alma descansa, dele me vem a salvação. Só ele é minha rocha e salvação e meu baluarte: jamais vacilarei. Até quando vos lançareis sobre um homem para abatê-lo, de comum acordo, como uma parede inclinada ou um muro prestes a ruir? Derrubá-lo de sua posição é seu único intento, e se comprazem na mentira; com a boca bendizem, mas no coração amaldiçoam. Só em Deus descansa, minha alma, porque dele me vem a esperança. Só ele é minha rocha de salvação e meu baluarte: não vacilarei. De Deus depende minha salvação e glória; Deus é minha rocha firme, meu refúgio. Confia nele, ó povo, todo o tempo, desafoga diante dele o coração! Deus é nosso refúgio.  Os filhos dos homens não são mais que um sopro, e as pessoas importantes, mera aparência. Todos juntos, na balança, pesariam menos que um sopro. Não confieis na extorsão nem vos façais ilusões com o roubo! Ainda que cresçam vossas riquezas, não lhes deis o coração! Uma coisa Deus disse, e duas eu ouvi: Que o poder vem de Deus, de ti, Senhor, a misericórdia; e que pagas a cada um, segundo suas obras. (Sl 62, 2-13)

Jesus, manso e humilde de coração, fazei o nosso coração semelhante ao Vosso!

1 Pai Nosso; 1 Ave Maria; 1 Glória.

Compartilhar

Coração de Sião - Outubro de 2012

| Imprimir | PDF 

EU ESCOLHO A VIDA OU A MORTE?

        Neste mês quero fazer eco ao grande evento promovido pela Comunidade Católica Jesus Menino – “2º CANTO PELA VIDA

A frase colocada ao fundo do palco já é questionadora: Um país que aceita o aborto não está apto a ensinar os seus cidadãos a amar, mas a usar a violência para obter o que querem. É por isso que o maior destruidor do amor e da paz é o aborto”. (Madre Teresa de Calcutá)

O Evangelho de São Marcos nos apresenta Jesus com os discípulos: pegou uma criança, colocou-a no meio deles e, abraçando-a, disse-lhes: “Quem receber uma destas crianças em meu nome, é a mim que recebe; e quem me recebe, não é a mim que recebe, mas aquele que me enviou”. (cf. Mc 9, 36-37)

Passando para o Evangelho de São João, Jesus nos diz: “Quem me rejeita e não recebe minhas palavras, já tem quem o condene: a palavra que falei é que o condenará no último dia. Porque eu não falei por mim mesmo. O próprio Pai, que me enviou, é que me ordenou o que devo dizer e falar. Eu sei que seu mandamento é a vida eterna. Assim, pois, as coisas que falo, eu as falo conforme me disse o Pai”. (Jo 12, 48-50)

Quem rejeita uma criança, seja ela quem for, em toda e qualquer situação, REJEITA o próprio Cristo, e assim se está rejeitando e se condenando.

O que é o aborto? Uma rejeição. Está se rejeitando aquela criança que Jesus colocou no meio e disse “quem receber uma destas crianças em meu nome, é a mim que recebe” e depois “quem me rejeita e não recebe minhas palavras, já tem quem o condene: a palavra que falei é que o condenará no último dia”.

O aborto (do latim ab-ortus, privação do nascimento) é a interrupção da gravidez, que pode ocorrer de forma espontânea ou de forma voluntária. O grande problema é quando há a intervenção médica ou é provocada pela própria gestante, pela própria mãe. Neste caso é crime! É pecado grave!

É preciso entender que todos os envolvidos no aborto são criminosos, sim e estão em pecado grave (mortal)!

Neste período é importante ressaltar que um cristão NÃO PODE apoiar com seu voto, um candidato comprometido com o aborto ou filiado a um partido que obriga o candidato a este compromisso.

O Catecismo da Igreja Católica ensina sobre a cooperação com o pecado de outra pessoa: O pecado é um ato pessoal. Além disso, temos responsabilidade nos pecados cometidos por outros, quando neles cooperamos: participando neles direta e voluntariamente; mandando, aconselhando, louvando ou aprovando esses pecados; não os revelando ou não os impedindo, quando a isso somos obrigados; protegendo os que fazem o mal. (CIC 1868). Ora, quem vota de fato aprova, ou seja, contribui com seu voto para que possa ser praticado o que constitui um pecado grave.

 


INTENÇÕES DO MÊS

Neste mês vamos colocar como intenção principal a luta pela vida, pelo direito à vida, pela Comunidade Católica Jesus Menino e por todas as iniciativas em favor da vida, por aqueles que lutam contra o aborto. Também continuemos a rezar pelas eleições municipais, pela Jornada Mundial da Juventude, toda a sua preparação e organização.

A Comunidade Católica Jesus Menino, também denominada pelo seu fundador como casa de Nazaré, acolhe crianças com necessidades especiais, rejeitadas pela sociedade. Lá elas são muito amadas e cuidadas.

Peçamos a Deus que mais e mais pessoas possam abrir os seus corações e suas vidas para que não existam rejeitados em nossa sociedade, que aqueles que detêm o poder possam legislar pela vida e por aqueles que promovem a vida em sua totalidade.

Em nossas intenções, lembremos que cada um de nós tem responsabilidade pessoal em favor da vida, contra todo o princípio que não promova a vida.  

Sagrado Coração de Jesus, eu espero e confio em Vós!  


REZEMOS 

Rezemos juntos a oração a Nossa Senhora Protetora dos Nascituros:

"Maria levantou-se e foi às pressas para as montanhas de Judá" (Lc 1,39).

Senhora e Mãe nossa, é com santa angústia e zelo fraterno que nos dirigimos a ti, amiga e defensora de todas as crianças, nascidas e por nascer. 

Tu foste "às pressas" para santificar, por meio do teu Filho, Jesus, a uma criança que estava prestes a nascer no ventre de Isabel. Cuidaste de tudo, com carinho e desvelo de Mãe. 

Agora, queremos invocar-te como PROTETORA DOS NASCITUROS, muitos em perigo de serem assassinados, trucidados, antes de verem a luz do dia. É o maior escândalo, o pior crime contra a humanidade toda. O útero materno, querida Mãe, tornou-se o lugar mais inseguro e violento da terra. Tu bem o sabes e, certamente, choras como choraram as mães de Belém, na matança dos seus inocentes filhinhos (Mt 2,16-17). 

Vem, depressa, em socorro de todos os NASCITUROS, levando-lhes, com teu Jesus, a certeza e a garantia de VIDA, de sobrevivência digna, de acolhida num lar afetuoso e de merecida educação. Tu o podes fazer, porque levas Jesus contigo, e porque "para Deus nada é impossível" (Lc 1,37). 

Antecipadamente, ó Mãe e PROTETORA DOS NASCITUROS, te agradecemos este imenso favor: por Jesus Cristo, teu Filho, na unidade do Espírito Santo. Amém! 

Jesus, manso e humilde de coração, fazei o nosso coração semelhante ao Vosso!

1 Pai Nosso; 1 Ave Maria; 1 Glória.

 

 

Compartilhar
Back to top

Copyright © Comunidade Sião 2018

Template by Joomla Templates & Szablony Joomla.