Lectio Divina - Ano B - 2017/2018

4º Domingo da Quaresma - Ano B - 22 de Abril de 2018

| Imprimir | PDF 

Texto Bíblico – Evangelho de São João 3, 14-21

Disse Jesus a Nicodemos: Como Moisés levantou a serpente no deserto, assim é necessário que seja levantado o Filho do Homem, para que todo aquele que crer nele tenha a vida eterna. Deus amou tanto as pessoas que entregou seu Filho único, para que quem nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna. Deus não enviou o seu Filho ao mundo para condenar as pessoas, mas que elas sejam salvas. Quem nele crê, não é julgado. Quem não crê já está julgado: não acreditou no nome do Filho único de Deus. O julgamento é: a luz veio ao mundo, mas os homens preferiram as trevas à luz, porque suas ações eram más. Quem faz o mal odeia a luz, para que suas ações não sejam descobertas; mas quem age segundo a verdade aproxima-se da luz. Para que se manifeste que suas ações são feitas em Deus.

1. Leitura do texto:

Jesus no encontro com Nicodemos, professor judeu, teve um diálogo sobre nascer de novo (3,1-13). Depois foi ajudando este senhor em sua fé. A serpente simboliza o demônio e a sedução do mal. Jesus tomou sobre si o pecado das pessoas, julgando a antiga serpente pela morte na cruz. Pela fé em Jesus, exaltado pela cruz, ressurreição e ascensão, temos a vitória sobre a morte e recebemos a vida eterna. (Jo 20.31) Como os judeus feridos pelas serpentes foram salvos olhando a serpente de bronze levantada por Moisés (Nm 21,8s), assim também nós somos remidos pela cruz de Cristo. Deus Pai deu prova de amor enviando-nos seu Filho para termos vida. (Rm 8,32; 1Jo 4,9s; 5,13; Jo 10,28) Nem o pecado pode tirar do Pai o carinho para com os filhos ingratos. Mas o homem pode fechar-se com as obras más. Assim ele mesmo se julga.

 Filho do Homem: Esta expressão significa às vezes simplesmente "ho­mem", "criatura pequena, frágil" (Jó 25,6; Sl 8,5; 51,12). O profeta Ezequiel é chamado pelo Senhor de "filho de homem", para acen­tuar a distância entre Deus e o homem (Ez 2,1). Em Daniel a expressão indica os israelitas (Dn 7,13), "os santos do Altíssimo"(7,18s). Para afastar as falsas espe­ranças de um messianismo político, Jesus aplicou esta expressão a si mesmo. Deste modo sublinhava ao mesmo tempo sua fragilidade humana, enquanto Servo Sofredor (Is 53,10; Mc 8,31; 10,45), e sua grandeza sobrenatural e gloriosa (Mc 8,38; 12,36; 14,62). Após a ressurreição a expressão "filho do Homem" foi entendida em sentido messiânico (At 7,56; Ap 1,13).

Perguntas para a leitura:

* A quem Jesus estava apresentado sua missão divina de salvação?  Quem era ele?

* Que fato Jesus apresentou para chamar a atenção de Nicodemos sobre seu poder?

* Que significa a comparação de Jesus com a serpente do deserto com Moisés?

* Como Deus Pai mostrou seu grande amor por todos nós?

* Como podemos ser salvos? Quem pode salvar-nos e como?

* De que luz estava Jesus falando e qual a sua força e efeito em nós?

2. MEDITAÇÃO: O que me diz o texto? O que nos diz o texto?

* Estou disposto a procurar pessoas que me expliquem melhor quem é o Cristo?

* O que me está impedindo de procurar Cristo para conhecê-lo mais e melhor?

* Em que momentos de minha vida senti a presença de Cristo crucificado por mim?

* Sinto que Deus Pai me ama muito? Já pensei o muito amor dele por mim enviando seu Filho?

* Em meus problemas, dificuldades, pecados sou capaz de buscar o Cristo crucificado por mim?

3. ORAÇÃO: O que digo a Deus? O que dizemos a Deus?

Obrigado, Senhor, por poder ter diante de meus olhos a tua figura crucificada por mim. Cristo, fortalece-nos em teu amor por mim, renova-nos como missionários para sermos fiéis discípulos do teu Reino.

Jesus eu Te louvo porque deste um sentido forte do amor de Deus Pai por Ti e por nós. Fortalece nossa fé em Ti para ver o caminho que tu nos propões. Ajuda-nos a descobrir em nossas fraquezas tua graça que cura.

Permita-nos ver não o porquê das coisas, mas o para quê de muitas coisas que tu, em tua infinita bondade, permites que vivamos.

Aos cegos, enfermos, prostrados numa cama ou com alguma doença, Jesus concede-lhes descobrir que por meio deste sofrimento oferecido com amor se dê glória a teu nome, pois sabemos que serás sempre o caminho, a verdade e a vida.  Amém!

4. CONTEMPLAÇÃO: Como interiorizo a mensagem? Como interiorizamos a mensagem?

Contemplemos em nós nossa pobre condição humana, às vezes buscando realizar-nos pela vida do mundo, nos ideais humanos distantes da Palavra de Deus. Interiorizando-a conseguiremos entender que o desejo de Deus, de encontrar-nos e ajudar-nos, é maior. Devemos, pois, deixar-nos ser encontrados por ele. Jesus, possamos ver o mundo como tu. Que em tudo e em todos te demos graças e glória.

5. AÇÃO: Com o que me comprometo? Com o que nos comprometemos?

Propostas pessoais:

Preparemos melhor a Semana Santa: dediquemos tempo para interiorizar os mistérios de Deus, que se revela a nós na liturgia quaresmal! Jejuar nas coisas como o orgulho, a mentira, a fofoca e tudo o que prejudica a nós e aos outros.

Propostas comunitárias:

Reunir-nos com nosso grupo para a meditação da Palavra de Deus, para encontrarmos um sentido mais forte e profundo na nossa participação na liturgia dominical. Buscar melhor preparação para viver o mistério da paixão, morte e ressurreição do Senhor.

Fonte – Diocese de Petrópolis

 

Compartilhar
Back to top

Copyright © Comunidade Sião 2018

Template by Joomla Templates & Szablony Joomla.