Últimas Notícias

Reino Unido: Papa Francisco pede proteção jurídica adequada à vida desde a concepção

| Imprimir | PDF 

Ecografia_WikipediaWolfgangMoroder_CC-BY-SA-3.0

O site  ACI/EWTN Noticias informou nesta sexta-feira (25/07/14) que o Papa Francisco enviou uma mensagem por ocasião do Dia da Vida que será celebrado no próximo dia 27 de julho na Inglaterra, Irlanda, Escócia e Gales, para pedir “a proteção jurídica adequada para o direito humano fundamental à vida” e combater a cultura de morte.

Em uma mensagem enviada às Igrejas locais pelo Secretário de Estado Vaticano, Cardeal Pietro Parolin, o Papa exortou a apreciar a vida, especialmente dos mais vulneráveis da sociedade, ao mesmo tempo solicitou aos católicos “levar o amor misericordioso de Cristo como um bálsamo que dá vida aos que sofrem com novas formas de pobreza e vulnerabilidade cada vez mais evidentes na sociedade”.

Do mesmo modo, expressou sua confiança em que esta testemunha anual da santidade do presente de Deus da vida “inspire os fiéis e os jovens católicos, em particular, para o combate contra a cultura da morte”.

O lema do Dia da Vida 2014 é “#livelife Proteger e apreciar a vida desde seu começo até seu final natural” e constitui um convite aos jovens, sobretudo, para que participem do cuidado, da criação e da proteção da vida em cada etapa e em cada condição.

O Dia da Vida é celebrado todos os anos pela Igreja Católica na Escócia, Inglaterra, Gales e Irlanda, e está dedicado a criar consciência sobre o significado e o valor da vida humana em cada etapa e em cada condição.

O dinheiro arrecadado na coleta que será realizada nas paróquias da Inglaterra e Gales no domingo, 27 de julho, ajudará o trabalho do Centro de Bioética Anscombe e outras atividades relacionadas com a vida apoiadas pela Igreja.

Fonte:http://www.acidigital.com/noticias/reino-unido-papa-francisco-pede-que-se-de-uma-protecao-juridica-adequada-a-vida-desde-a-concepcao-20682/

Compartilhar

Cáritas Jerusalém refugia milhares de cristãos e muçulmanos nas igrejas e escolas em Gaza

| Imprimir | PDF 

AyudaCristianos_CaritasJerusalem

ACI/EWTN Noticias informou nesta sexta (25/07/14), que no meio do conflito, no qual 130 mil pessoas se encontram deslocadas pelas operações militares israelenses, os cristãos continuam sendo solidários. Há quase 1.300 palestinos, a grande maioria muçulmana, refugiados na igrejagrego-ortodoxa de São Porfirio em Gaza e outros setecentos se encontram na Igreja Católica da Sagrada Família.

“Distribuímos alimentos e refeições quentes, leite e necessidades básicas para as crianças, combustível para os geradores elétricos”, menciona o sacerdote palestino Pe. Raed Abusahliah, diretor da Cáritas Jerusalém ao relatar que as Igrejas e as escolas se converteram em refúgio de milhares de pessoas que fogem da violência entre o exército israelense e o grupo islâmico Hamas.

A Cáritas Jerusalém assumiu por uma semana a responsabilidade dos refugiados presentes na Igreja Ortodoxa e na escola católica, e com isso sai ao encontro da situação de emergência dos que tiveram que abandonar os seus lares e ajuda os centros de saúde que não dão conta de atender os mais de 4 mil feridos.

“Os nossos 18 profissionais estão trabalhando incansavelmente nessa terrível situação, com os nossos centros médicos móveis que operam nas escolas e distribuindo kits de sobrevivência para as famílias amontoadas nas escolas, em colaboração com a ONU” referiu à agência Fides o Pe. Raed.

Até o momento se calcula mais de 700 mortos e 70 mil palestinos refugiados nas escolas da ONU. Uma das quais foi atacada nesta quinta-feira, 24 de julho, e testemunhas afirmam que os projéteis vieram de tanques israelenses, deixando 17 falecidos e centenas de feridos.

Entretanto, as mostras de esperança para o futuro não se deixam esperar, conforme relata o diretor da Cáritas Jerusalém.

“Enquanto isso, com a Caritas Internacional, fizemos um apelo para projetos e iniciativas a longo prazo para iniciar imediatamente após o cessar-fogo. Precisaremos de um fundo de um milhão e cento e trinta mil euros. Vejo chegar adesões de todo o mundo, e também na Terra Santa, especialmente os jovens dão ofertas à Caritas para os nossos irmãos de Gaza. É um fluxo ininterrupto”.

No próximo final de semana, sábado e domingo, se rezará pelo retorno da paz em todas as paróquias da Jordânia, Palestina e Israel e haverá uma coleta de fundos para os habitantes de Gaza.

“A este propósito – declara Pe. Raed – faço um apelo humilde ao Papa Francisco: convocar uma vigília de jejum e oração pela paz na Terra Santa, como fez para a Síria. Todos os povos que vivem nesta terra, a terra de Jesus, estão cansados de viver com medo e na dor”.

Fonte:http://www.acidigital.com/noticias/caritas-jerusalem-refugia-milhares-de-cristaos-e-muculmanos-nas-igrejas-e-escolas-em-gaza-88416/

Compartilhar

“Oitenta por cento das pessoas perseguidas por causa de sua fé são cristãs”, afirma presidente do Pontifício Conselho para a Unidade dos Cristãos

| Imprimir | PDF 

KurtKoch_MartaJimenez_ACIPrensa

O site ACI/EWTN Noticias informou nesta segunda-feira (28/07/14), que o Presidente do Pontifício Conselho para a Unidade dos Cristãos, Cardeal Kurt Koch, fez um chamado a não ficarmos calados ante este tipo de situações e, seguindo o Papa, reafirma a importância do ecumenismo.

Em uma entrevista ao L’Osservatore Romano, o Cardeal Kut Koch advertiu que “calcula-se que 80% das pessoas perseguidas por causa de sua fé são cristãs” e alentou a “sermos mais corajosos em denunciar as perseguições contra os cristãos, porque hoje temos mais perseguições do que nos primeiros séculos depois de Cristo”.

O Cardeal Koch manifestou que diante desta realidade, urge uma maior convergência no plano ecumênico com as demais Igrejas cristãs. “Todas as comunidades, todas as Igrejas tem seus mártires. O sangue não divide, mas une. Na Igreja antiga se dizia que os mártires são semente de novos cristãos. Hoje podemos dizer que os mártires são a semente do ecumenismo e da unidade para a futuro”, enfatizou.

“O Papa Francisco fala de ecumenismo do sofrimento. Este é o alicerce mais profundo e espiritual do compromisso ecumênico. Isto é válido, sobretudo, nos Países de origem do cristianismo, no Oriente Médio, onde os cristãos fogem, são obrigados a sair, porque se continuam aí são mortos”, adicionou.

Apesar de tudo, ele vê avanços positivos em alguns lugares, como no caso da Síria onde a perseguição uniu os cristãos.

Fonte:http://www.acidigital.com/noticias/oitenta-por-cento-das-pessoas-perseguidas-por-causa-de-sua-fe-sao-cristas-afirma-presidente-do-pontificio-conselho-para-a-unidade-dos-cristaos-61469/

Compartilhar

Extremistas muçulmanos marcam casas de cristãos no Iraque obrigando-os a fugir

| Imprimir | PDF 

CrucifijoIrak_DominioPublico2

O site ACI/EWTN Noticias informou na última sexta-feira (18/07/2014), que as últimas famílias cristãs ainda presentes em Mosul (Iraque) estão deixando a cidade em direção a Erbil, Dohuk e outras populações do Curdistão que são consideradas zonas mais seguras.

Esta informação foi confirmada por fontes da agência vaticana Fides da comunidade caldeia (católica) local. O novo êxodo se acelerou nos últimos dois dias porque os extremistas muçulmanos (sunitas) e os militantes do autoproclamado Califado Islâmico começaram a marcar com letras de reconhecimento as casas dos cristãos e dos xiitas com o objetivo de ocupá-las depois.

Conforme informou o site www.Ankawa.com, a evacuação dos últimos cristãos também se deve à intensificação dos bombardeios realizados pelas forças armadas do governo em muitos bairros da cidade, especialmente de noite.

Em muitos povoados da planície de Nínive, a emergência principal neste momento se deve à suspensão do fornecimento de água, que se torna ainda mais insuportável pelas altas temperaturas, indica Fides.

Fonte:http://www.acidigital.com/noticias/extremistas-muculmanos-marcam-casas-de-cristaos-no-iraque-obrigando-os-a-fugir-39652/

Compartilhar

O que está acontecendo em Gaza é um massacre, denuncia Patriarca Emérito de Jerusalém

| Imprimir | PDF 

MichelSabbah_WikipediaGiedTenBerge_CC-BY-3.0

O site ACI/EWTN Noticias informou nesta terça-feira (22/07/14), que o Patriarca Emérito de Jerusalém dos Latinos, Sua Beatitude Michel Sabbah, denunciou que o que está acontecendo na Faixa de Gaza não é uma guerra, é um massacre que só está gerando mais ódio entre israelenses e palestinos, pois já provocou mais de 600 mortos, além da destruição de moradias, mesquitas e inclusive centros de saúde.

“O que está acontecendo em Gaza não é uma guerra, é um massacre. Um massacre inútil, que não fará com que Israel avance nenhum passo em direção à paz e à segurança. Pelo contrário, com todos estes sacrifícios humanos, os corações dos israelenses e dos palestinos se enchem de ódio”, declarou o Patriarca à agência Fides.

“Os meios para alcançar a paz só podem ser meios pacíficos. Há sessenta anos, estamos vendo que as guerras, as armas, os massacres são incapazes de conseguir qualquer tipo de paz”, acrescentou.

O Patriarca afirmou que “a única maneira de sair da espiral da violência e da destruição é abordar a questão de fundo, que é a ocupação israelense dos territórios palestinos. Haverá paz e segurança só quando Israel reconhecer a liberdade e a soberania do Estado palestino”.

“Mas talvez seja por isso que temos que esperar uma nova geração de líderes israelenses. Os líderes atuais acreditam somente na força militar. Têm armas sofisticadas para matar, mas não têm a força para fazer a paz”, assinalou.

Por sua parte, o secretário geral da ONU, Ban Ki-moon, pediu hoje a Israel que trate de “conter-se” em seus ataques a Gaza e que considere a população civil. “A minha mensagem é a mesma para israelenses e palestinos: parem de lutar e comecem a falar”, expressou em uma conferência de imprensa em Tel Aviv (Israel) junto com o primeiro-ministro, Benjamim Netanyahu.

Indicou que as partes devem ir à raiz deste conflito, que já tem décadas, para evitar uma mesma situação dentro de seis meses ou um ano.

Segundo o porta-voz do Ministério de Saúde de Gaza, Ashraf Al Qedra, já são 609 os palestinos mortos e outros 3.720 feridos desde que começou a operação militar israelense. Indicou que dos mortos, dois terços são civis. Destes, 154 são crianças, 58 mulheres e 38 idosos.

Pelo lado israelense, morreram dois civis e 27 soldados, além de uns cem feridos.

Fonte:http://www.acidigital.com/noticias/o-que-esta-acontecendo-em-gaza-e-um-massacre-denuncia-patriarca-emerito-de-jerusalem-40482/

Compartilhar
Back to top

Copyright © Comunidade Sião 2019

Template by Joomla Templates & Szablony Joomla.