25° Domingo do Tempo Comum - 23 de Setembro de 2018

Texto Bíblico - Evangelho de São Marcos 9, 30-37

    Partindo dali, atravessaram a Galileia e Jesus não queria que se soubesse. Pois ensinava seus discípulos e lhes dizia: o Filho do Homem vai ser entregue às mãos dos homens. Eles o matarão e quando tiver sido morto, após três dias, ressuscitará. Mas eles não compreenderam estas palavras e receavam interrogá-lo. Foram para Cafarnaum. Tendo entrado em casa, Jesus lhes perguntava: Sobre que vocês discutiam pelo caminho?  Mas eles calavam, pois no caminho tinham discutido para saber quem era o maior. Jesus sentou-se e chamou os Doze. Ele lhes disse: Se alguém quiser ser o primeiro, seja o último de todos e servo de todos. E pegando uma criança, colocou-a no meio deles e depois de a ter abraçado, disse-lhes: Quem acolhe em meu nome uma criança como esta, acolhe a mim mesmo. E quem me acolhe não é a mim que acolhe, mas Àquele que me enviou.

1 – L e i t u r a:

Sempre andando pelas estradas, Cristo conversava com os apóstolos e com as pessoas que o seguiam, ensinando-lhes o caminho de uma vida melhor com Deus e com os outros. Não queria que fizessem muita propaganda de sua presença, para não incomodar os chefes religiosos e para que ninguém tivesse esperança em movimento político. Mas põe bem claro o que irá acontecer com Ele, sua prisão, seus sofrimentos e sua ressurreição... Os apóstolos não entenderam, não deram importância ou não quiseram ficar pensando nisso. Ele percebeu que os apóstolos vinham discutindo algum assunto que parecia não quisessem que Ele o soubesse. Quando afinal Jesus soube que estavam disputando entre eles sobre primeiro lugar, ou destaque entre eles... aproveitou e deu-lhes a lição que precisavam: comparando com a figura da criança, pede que eles sejam como a criança: que é simples, pura, quem acha que é mais deve ajudar mais ainda os outros.

Perguntas sobre a leitura:

1. Por que Jesus não queria que pessoas soubessem onde estava?

2. O que Cristo falou para os apóstolos sobre o que iria acontecer?

3. Os apóstolos aceitavam e entendiam o que Jesus falava?

4. O que estavam discutindo ao caminharem pelas estradas?

5. Qual foi a lição que Cristo deu aos apóstolos sobre a discussão?

6. Com que figura Jesus então quis comparar e por quê?

2 - M E D I T A Ç Ã O: O que me diz o texto? O que nos diz o texto?

Jesus vai caminhando... Sua conversa sempre tem um sentido bom, que orienta melhor nossa vida. Pensa no amanhã. Prepara-nos para o amanhã real, não como um sonho. Não foge dos problemas, não tem medo de enfrentá-los. Assim quer que o façamos.           

1. Sendo filho de Deus, tendo fé, fico pensando que só vai acontecer coisa boa em minha vida, em minha família e trabalho ?

2. Tenho medo de sofrer? Meu amor a Deus é mais pedindo proteção dele ou mostrar que eu o amo de fato e sigo sua palavra?

3. Em minha família, trabalho, comunidade, me preocupo em querer sem mais que os outros? Ser considerado o tal?

4. Reconheço minhas qualidades, procuro aprender mais e melhor para ajudar mais a todos? Ou sou muito vaidoso?

5. Que qualidades de criança ainda eu tenho? Simplicidade, pureza de intenção, amizade sincera sem discriminar ninguém?

3 - O R A Ç Ã O: O que digo a Deus? O que dizemos a Deus?

Quem acompanhava Jesus, aceitando o que Ele dizia, sentia-se bem e ajudava os outros a conhecê-lo melhor. Alguns o ouviam, outros perguntavam sempre alguma coisa. E Jesus não deixava nada sem resposta. Neste mês da Bíblia, peço: Fala, Senhor, que teu servo quer escutar... Ajuda-me a não me deixar levar pela vaidade, orgulho de querer ser mais que os outros. Dá-me a simplicidade da criança... Quero com meu sorriso alegrar as pessoas. Que a figura de uma criança me lembre sempre a pureza de sentimentos que desejas de mim para com as pessoas com quem vivo ou que encontro...

4 - C O N T E M P L A Ç Ã O:

Entrando dentro de mim mesmo, no silêncio, sem palavras, nem preocupações, sinto, Senhor, Teu olhar de compreensão, de convite para perceber a serenidade de Teu rosto, a suavidade de Teu olhar. Que eu confie em Ti. Estou em tuas mãos. Guia meus passos para deixar de lado toda preocupação. Tuas mãos tocam em meu ombro, em minha cabeça para me dar a certeza que estás comigo, que me ouves, que com amor me guias cada dia. Confio em Ti, meu Senhor e meu Deus. Com o pulsar suave de meu coração, entrego a Ti todos os meus sentimentos e desejos, que mostrem meu amor por Ti.

5 - A Ç Ã O:

Propostas pessoais:

Cada dia vou dispor de um horário certo e próprio para no silêncio me comunicar com Deus, à luz de sua Palavra. Vou manifestar meu bem querer a Ele e ouvi-lo, atendê-lo.     

Propostas comunitárias:

Procurar grupos que fazem suas orações em momentos escolhidos e vou participar com eles. Vou pôr-me à disposição para que, outros comigo, possamos refletir a Palavra de Deus e orar com simplicidade, mostrando muito amor a Deus.

  

Fonte – Diocese de Petrópolis

 

 

Compartilhar

| Imprimir | PDF 

Back to top

Copyright © Comunidade Sião 2018

Template by Joomla Templates & Szablony Joomla.