Filme: Questão de Tempo

Ao completar 21 anos, Tim (Domhnall Gleeson) é surpreendido com a notícia dada por seu pai (Bill Nighy) de que pertence a uma linhagem de viajantes no tempo. Ou seja, todos os homens da família conseguem viajar para o passado, bastando apenas ir para um local escuro e pensar na época e no local para onde deseja ir. Cético a princípio, Tim logo se empolga com o dom ao ver que seu pai não está mentindo. Sua primeira decisão é usar esta capacidade para conseguir uma namorada, mas logo ele percebe que viajar no tempo e alterar o que já aconteceu pode provocar consequências inesperadas.
 
É estabelecida, então, uma regra: não é possível ir para o futuro onde nunca antes se esteve. Chega a hora de testar o novo presente - e tudo dá muito certo. No entanto, como qualquer pessoa inexperiente, entre trancos e barrancos Tim descobre as maravilhas de se refazer um momento, por mais breve que seja; mas também que a dependência de se refazer o passado pode ser problemática.

 

São apresentados valores familiares, uma intensa amizade entre pai e filho, o amor de cônjuge, o de irmãos e aquele entre amigos. É aí que dá-se início ao caminho de Tim entre as escolhas, ganhos e perdas da alteração do passado, escolhas difíceis entre amores diferentes, mas não menos intensos.
O roteiro de Richard Curtis emociona ao usar o tom sentimental sem ser meloso, tocando fundo em questões se não iguais, muito parecidas as do espectador. Mesmo com algumas escorregadas no ir e vir temporal, Questão de Tempo ensina uma preciosas lições de moral: viva cada momento como se fosse o último, aprecie as menores coisas da vida e não será necessário refazer nada.
 
Uma boa reflexão sobre o filme se encontra no Blog Oficina de Valores, onde tratam da importancia de escolher bem: http://oficinadevalores.blogspot.com.br/2014/02/a-importancia-de-escolher-bem.html
Veja o Trailer!
 
 
 
 

 

Compartilhar

| Imprimir | PDF 

Back to top

Copyright © Comunidade Sião 2018

Template by Joomla Templates & Szablony Joomla.